A evolução de Star Fox Zero

A evolução de Star Fox Zero

starfoxzero

Saudações aos leitores.

Star Fox sempre foi a minha série de jogos preferida entre todas as séries “B” da Nintendo (considerando que Mario, Zelda, Metroid e Pokemon são as principais), e essa é uma razão pela qual eu dediquei alguns textos como “Star Fox: a estrela que a Nintendo apagou” e “Artigos traduzidos: porque reiniciar Star Fox não é fácil para a Nintendo”, por exemplo. Além disso, era inevitável escrever sobre as mediocridades lançadas após dois jogos excelentes (três, se você considerar o remake “Star Fox 3D” de 3DS), e a aparente falta de idéia da Nintendo sobre o que fazer com Star Fox. Portanto, o anúncio de Star Fox Zero me gerou um misto de  alegria por ver o retorno de Fox e cia em jogo para console de mesa, e apreensão sobre a capacidade de Zero não apenas manter o nome da série, como também  ser um game com qualidade acima da média.

Há ainda por cima o fator Wii U, console que não apenas amarga a lanterna da atual geração, como também tem carência de grandes títulos. Assim, é claro que a pressão sobre Star Fox Zero fica maior, tanto que o trailer de anúncio não impressionou.

Muitos jogadores mundo afora notaram os gráficos simples demais para o padrão da atual geração, um visual que parecia um pouco cru, como se o jogo estivesse em estágio anterior ao ideal para ser exibido em um trailer. Muitos se perguntaram se o jogo seria lançado dessa forma, e muita gente se preocupou se Star Fox seria mesmo um jogo de qualidade. Talvez por conta dessas reações, a Nintendo adiou o lançamento de Zero seguidas vezes, terminando por empurrar a data para 2016. Ainda assim, mesmo esse ano alguns sites publicaram rumores de que SFZ poderia ser adiado novamente. Mas felizmente a data de 21 de abril de 2016 foi enfim confirmada.

Agora sim podemos ver indícios do que pode ser um grande jogo Star Fox, com variedade de veículos, vários personagens secundários retornando, chefes gigantes, múltiplos caminhos e mesmo situações novas, como aquelas fases onde a nave deposita bombas e um robozinho que hackeia sistemas inimigos. Só a piadinha batida e sem graça do “do a barrel roll” no final do trailer que foi desnecessário. Por outro lado, a evolução gráfica em relação ao trailer da E3 foi nítida, e será melhor ainda se o jogo rodar à 60 quadros na versão final.


Não dá para cravar o resultado ainda, mas os indícios são muito bons até aqui. Em breve veremos qual será a reação do mundo em relação ao jogo, e se Star Fox Zero será capaz de recuperar os dias de glória do passado. De qualquer forma, apesar dos percalços, o jogo parece ter evoluido bem. Veremos como Fox e amigos se sairão.

AvcF – Loading Time.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *