Artigos traduzidos: “Tanks Football”, “Kick Off”, “Rocket League”: o grande retorno dos jogos de futebol fantasia

Artigos traduzidos: “Tanks Football”, “Kick Off”, “Rocket League”: o grande retorno dos jogos de futebol fantasia

Saudações aos leitores.

O mais novo artigo traduzido entra no clima da Eurocopa e trata do retorno dos jogos de futebol cartunescos e de fantasia dos anos 90. Além dos clássicos, o texto do Le Monde também fala do fenômeno recente Rocket League, cujo sucesso surpreendente faz sombra às poderosas franquias PES e FIFA. Espero que gostem e boa leitura!


“Tanks Football”, “Kick Off”, “Rocket League”: o grande retorno dos jogos de futebol

Kopanito

Em silêncio, FIFA e PES, os dois gigantes anuais da simulação de futebol. À ocasião da Euro 2016, que acontece de 10 de junho até 10 de julho na França, os novos embaixadores da bola nos video games se chamam Tanks Football 2016, Kopanito World Cup Soccer e Dino Dini’s Kick Off Revival, produções que cada uma a sua maneira, rendem homenagem ao futebol-arte em pixels dos anos 1990.

WorldCupSoccer

De Nintendo World Cup em 1990 ao modo futebol de Street Racer em 1994, durante quase meia década, os campos virtuais eram o palco de trombadas assassinas, de viradas acrobáticas super poderosas, de conduzir a bola como uma tacada de bilhar, trocas de pauladas ou ainda de ombradas devastadoras. Um concentrado mais próximo do futebol de bebês e das lutas de travesseiros que da simulação

Um vazio de quase vinte anos

Na época, as gigantes Konami, Electronic Arts e Sega lançaram suas primeiras super-produções do gênero: International Superstar Soccer e seus gráficos com sofisticação inédita, FIFA International Soccer e sua transcrição apaixonada do ambiente de uma transmissão de televisão, ou ainda Virtual Soccer e os primórdios da bola redonda em três dimensões.

“Eu poderia ter rivalizado com eles do ponto de vista artístico, eu os teria alcançado, se somente tivessem me dado a chance, lamenta hoje Dino Dini, o criador de Kick Off. Talvez eu tivesse precisado de mais financiamento. Mas toda a indústria pensava que precisava ir para o 3D, e foi uma profecia auto-realizável”, lamenta um dos únicos que permaneceu ligado a uma abordagem artesanal e uma direção em 2D.

StreetRacer

Street Racer, um jogo de kart, é o primeiro a exibir partidas de futebol à quatro rodas, com jatos de eletricidade e trombadas. “Foi um grande sucesso para nós e para Ubisoft, que não era tão conhecida quanto hoje”, se lembra com carinho o criador turco Mevlüt Dinç, sobre a origem do jogo. O projeto nasceu de sua vontade de explorar o multitap, um acessório que permitia conectar quatro controles no Super Nintendo, para lançar um jogo para quatro jogadores – contra dois para o Mario Kart. “O jogo da Nintendo era um modelo absoluto, mas nós queríamos modos únicos como o futebol. Para mim Street Racer era um jogo de corrida, de luta e de esporte as vezes”, ele detalha.

Seu sucessor, previsto para Playstation, nunca foi lançado, dando fim à idade de ouro dos jogos de futebol cômicos, doidos e brutos. Soccer Slam, no começo dos anos 2000, será uma das raras exceções nesse deserto, antes que sua equipe canadense não caísse no colo da Nintendo para dar vida a Mario Strikers.

O retorno do modelo dos anos 1990

Depois de vinte anos deteriorando nas gavetas empoeiradas e nas páginas enrugadas das revistas de antigamente, o velho gênero do jogo de futebol fantasia conheceu hoje uma renovação espetacular. “Nos anos 1990, o video game virou de repente um lazer acessível para todos. Vinte anos mais tarde, os jogadores viraram os criadores”, explica Pawel Dzienbiski, trinta anos, game designer de Kopanito All-Stars Soccer, em encontro no meio de abril em Poznan na Polônia.

Os super golpes e a super representação do estádio vieram de World Cup, a possibilidade de curvar a trajetória da bola, de Sensible Soccer. A influência é assumida: “A gente leu os livros sobre a maneira de fazer os jogos de futebol, a gente se inspirou em Sensible Soccer, World Cup Soccer e Kick Off. Mas a gente as retrabalhou aos poucos para as adaptar.”

Kopanito2

Visualmente, a produção polonesa se equilibra entre a herança dos anos 1990 e a possibilidade de superar as limitações da época. “No começo, a gente se inspirou em World Cup, mas o importante para nós era ter rostos diferentes – há seiscentos no jogo, explica Pawel Stepanow, o diretor criativo. Eles são inspirados pelos jogadores famosos. A gente queria misturar as estrelas dos anos 1990 e de hoje, ter Barthez, Platini e Zidane na equipe da França, mas por questões de direitos a gente não pode colocar os nomes.”

Kopanito3

Com a distribuição digital e o retorno ao jogos indies, Dino Dini, o criador de Kick Off, decidiu retornar aos video games, após duas décadas de aposentadoria profissional – ele dava aulas em Amsterdã. “O sonho de um artista é fazer aquilo que ele é bom, o pintor vai pintar, o músico vai compor ou tocar música, e o que eu sei fazer é conceber jogos de futebol que trazem a emoção do esporte”, explica Dino Dini. Dino Dini’s Kick Off Revival, previsto para a segunda metade do mês de junho, será lançado para Playstation 4, mas com os códigos antigos: vista superior, trombadas supersônicas, bola elástica e chute frisbee.

Ele quase não foi o único. John Hare, o criador de Sensible Soccer, lançou o financiamento Kickstarter de uma sequência espiritual batizada Sociable Soccer, mas ele cancelou a campanha por falta de financiamento.

O grande retorno dos jogos de “Bagnoot”

Os novos gigantes do futebol fantasia estão contudo procurando se alinhar ao esporte automobilista online. A editora de origem bielorussa Wargaming introduziu em 2014 um modo Tank Football em seu jogo World of Tanks.

Tanks

Será lançado em 10 de junho, dia da partida de abertura da Eurocopa, a terceira edição desse modo festivo, com terrenos como Himmelsdorf Area, Stade Eiffel e Old Tankford e bandairas de todas as equipes da Euro. “Com a ausência de pés, os jogadores devem utilisar os canhões de seus personagens para mover a bola sobre o terreno e sacudir as redes adversárias”, brinca a Wargaming em um comunicado.

“É bastante lógico pra gente: a maioria do nosso público é masculino, e muitos homens no mundo amam o futebol, particularmente na Europa e nos antigos países soviéticos, explica à Pixels Maxim Chuvalov, responsável de produto por World of Tanks. Como desenvolvedores, nós somos fãs de futebol, então foi uma idéia bem legal.”

Mas se foi um jogo que se tornou fenômeno, esse foi Rocket League, dos americanos da Psyonix. Lançado em julho de 2015 para PC e Playstation 4, ele se impos em algumas semanas como um dos sucessos de 2015, em um mercado que pensávamos estar fechado por FIFA e PES.

RocketLeague

Em uma recente entrevista para a Forbes, Jeremy Dunham, o diretor do estúdio, reinvindicou 15 milhões de jogadores com 4 milhões de ativos em abril. Baseado em um jogo similar lançado em relativo anonimato em 2008, Supersonic Acrobatic Rocket-Powered Battle-Cars, ele é resultado de cinco anos de refinamento e de trocas com a comunidade. Novo gigante do jogo de futebol mecânico maluco – ou “bagnoot”, como propõe o site Bakarangers – ele mesmo assumiu a liderança sobre os outros jogos do gênero. Em abril, a Psyonix introduziu gratuitamente um modo basquete sobre rodas.

William Audureau

——————————————————————————————————————————————————————————–

AvcF – Loading Time.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *