Bad Trip: Survival Arts (Arcade)

Saudações aos quinta-colunas.

Aproveitando o gancho do artigo anterior, gastarei algumas linhas com um dos primeiros e mais esculhambados clones de Mortal Kombat: Survival Arts. Esse game realmente esquiou na jaca e deu um mergulho gostoso no poço de lama da ruindade gamística. É daqueles joguetes que de tão ruins são até simpáticos, por assim dizer. Tapem o nariz que a coisa vai feder. Coragem, amiguinhos, e vamos em frente.

No início da década de 1990, alguns pretensos espertalhões achavam que tinham descoberto o atalho para a fortuna: fazer um clone de Mortal Kombat. Como afirmei no artigo mais recente, o game de luta de Midway foi um fenômeno que inscreveu-se para sempre na história dos videogames. Apartir daí uma sequência de lixos que imitavam os piores aspectos de Mortal Kombat foi jogada no mercado sob a esperança de pegar o dinheiro dos jogadores trouxas. Uma dessas barbaridades foi lançada em 1993 (ano seguinte ao lançamento de mortal Kombat) pela Sammy (a mesma que atualmente é dona da Sega) com o nome de Survival Arts. Além do título que mais parece de filmeco de ação de terceira divisão (desses que passam aos montes no Super Cine ou no Domingo Maior), o jogo é inacreditavelmente ruim.

A podridão é tamanha que fico na dúvida até por onde começar. O clima futurista pós-apocalíptico e a (falta de) direção de arte são por demais de rídiculos, sem contar a traminha escalafobética que inventaram lá. Os personagens passaram todos os limites da ridicularia e da comicidade, sem contar que suas caracterizações mais parecem coisa de teatro amador dadaísta. O senso estético passou longe de qualquer noção aceitável quando alguns dos gênios responsáveis consideraram mesmo que por um instante que alguém vestiria aquelas roupichas no futuro. Acho que nem em época nenhuma. E os nomes das criaturas? Mongo? Santana? Tasha? Dantel? Isso mais me parece nomes de palhaços daqueles cirquinhos decadentes que andam pelas cidades do interior do Brasil.


Peguei um video curto para poupá-los do horror

Survival Arts é praticamente um antijogo, pois quase não há gameplay, de mal jogado que é esse troço. O jogo é lento, completamente desengonçado, não há qualquer técnica envolvida nas lutas e os golpes especiais são anedóticos. Alguns efeitos sonoros são completamente fora de propósito, como o som resultante dos lutadores ao cair no chão, que os faz parecer um carro passando com velocidade sobre um buraco no asfalto. Os urros mongolóides em conjunto com a musiquinha de cena de suspense dos filmes do Cine Band Privé (essa foi do fundo do baú) só pioram a já grotesca experiência de jogo. As sprites desproporcionais dos personagens além de evidenciar o baixíssimo orçamento da produção, diminuem o espaço dos cenários (a única coisa razoavelmente bem feita do jogo). Se um dos lutadores conseguir realizar a proeza de terminar o combate com um golpe especial, uma tosca animação faz o papel do que seria o fatality de Mortal Kombat.

Mas a cereja do bolo vem agora. Vejam esse video:

Esse sobrinho do Valter Mercado é o melhor que os idiotas da Sammy arranjaram para ser o chefão do jogo. Além das bizarrices de fazer um estranho som de máquina ao apanhar e copiar na maior cara de pau o rolling attack do Blanka (mas não era clone do Mortal Kombat? Pois é…), observem quando Dantel (QUE NOME! QUE NOME!) é derrotado. Em um dos momentos mais cachaças dos videogames, cabeças fantasmas começam a sair aos montes de dentro do chefe, dentre as quais o diabo e Hitler. O QUE RAIOS A PORCARIA DO DITADOR ALEMÃO TEM A VER COM ESSE JOGUETE? Muitas dorgas rolaram na Sammy, não é possível. O pior é que a justificativa que aparece na tela é que o tal Dantel comia (putz…) humanos poderosos para ganhar a imortalidade. Esse é o resultado da mistura de uma cópia mal feita de Shang Tsung e Caninha 51 com Yakult estragado.

Survival Arts foi uma das maiores atrocidades já lançadas para os arcades, porém felizmente jamais emporcalhou a biblioteca de qualquer console. Merece ficar enterrado bem no fundo da lata de lixo da história dos games, ao lado dos outros fétidos clones de Mortal Kombat. Nem para riso serve, pois sua graça se esvai rapidamente.

Que fique eternamente nesse futuro esquisito de ninjas com roupas de ginástica, monstros com colant e polãinas e policiais débeis.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

15 thoughts on “Bad Trip: Survival Arts (Arcade)

  1. Ha ha ha , eu lembro desse e eu jogava isso por falta de opção . Detalhe que esse jogo é totalmente desbalanceado .

    Receita de sucesso nesse jogo . Pegue o gunner (o policial de transito com o revolver bazooka) pule reto e quando estiver quase no chão solte o shot fraco (D,DL,L+soco fraco) e faca o mesmo movimento no chão com o soco forte . 100% de dano .

    Pegue o mongo (o cara com a arma de mil tiros que usa uma roupa brilhante) use a metralhadora (carrega para tras e para frente com soco fraco) e solte os misseis (?!?) com o botao medio , quando a metralhadora acertar o cara de frente os misseis acertam pelas costas , sem defesa

    Ou ainda pegue o viper (o ken do jogo, usa um macacao verde) no final do pulo diagonal faça baixo baixo mais soco forte e antes de enconstar no chão faça baixo mais soco forte , o cara vai para cima , repita até acabar o life

    Quanto ao final ele cuspir o hitler, é porcamente explicado . O dantel absorveu as almas de assasinos e criminosos para ganhar poder mistico para dominar o mundo , mas sinceramente ,quem se importa ? =b

  2. UHuhauhauhauhauhauhauhauha
    Ri litros aqui.
    Nunca imaginei que pudesse existir um jogo tão trashzão, tão ruim, tão monstruoso como esse.
    Valeu meu dia cara.
    Uhuauhauhauha

    E as cabeças de Hitler no final foi o pior.
    Fora que eu nunca vi um chefão ser tão facil assim de se matar.

  3. Graças á Deus nunca ouvi nem falar nesta bomba! Quase morro de rir também, muito bom mesmo este post Avcf, toda humilhação é pouco para essa atrocidade que ousa se intitular um game de luta, piada né?! Espero que a Sega-Sammy lance o próximo Virtua fighter, já pensou que maravilha seria? Que os santos nos protejam de games como esse!! Amém.

  4. Meu primeiro post (leio o blog já há muitos meses, mas é a 1ª vez que posto aqui).

    avcf, cê TEM CERTEZA que esse jogo consegue ser pior que o Way Of The Warrior do 3D0?

  5. huahua!!!! assisti o primeiro video e nem quero ver o proximo. MedoQ!!!!!! Imitação do MK, mas perto disso MK era maravilhoso huahua!!!! E fizeram o clima sombrio e colocaram personagens muito toscos kkkkk e a (ausencia de) trilha sonora é pavorosa!!!! Ainda bem que nunca ouvi falar dessa joça kkkkkkk

  6. Nossa o ninja azul ali da vontade de deixar o som no mute hahahaha SHU! SHU! ahaeuheuh

    Pô André mandaca mostrar o final desse jogo, isso foi Spolier…

    Agora fiquei curioso como é a conversão desse lixo pro MegaDrive?

  7. E eu que achava que os piores jogos de luta “fotorealísticos” apareceram no Jaguar e 3DO… De verdade, ainda não estou acreditando que esse jogo “foi verdade”… Dá pra ter um ataque de eplepsia vendo isso…

    E ow, que chefão é esse que morre tão fácilmente com a repetição do mesmo golpe?! (rhaurhaurhauharu). E ainda dizem que BlazBlue tem uma A.I. muito fácil…. rsrsrs

  8. avcf, cê já comentou sobre o Way Of The Warrior pro 3D0 (sinceramente não me lembro…)?

    O Mega Drive ainda tinha Fatman (Mondu’s Fight Palace em alguns países – ou Slaughter Sport) e o Shaq-fu (esse também em versão SNES, que conseguia ser inferior).

  9. ae gente, to de férias em fortaleza, mas é claro que não ia ficar sem postar nada aqui!! 😀 hehehehehe
    volto no fim da semana que vem e vejo tudo direitinho… li só esse post e como to navegando pelo celular, vai so o comentário sobre o texto: KRMBA!!! nunca tinha ouvido falar desse jogo e…. ainda bem! oO’ acho que o pior jogo desse estilo (não é nenhum mortal kombat) e sim o “street fighter movie” que baixei recentemente…. a jogabilidade é estranha, pq flui bem para a pouquíssima quantidade de animação dos sprites…. hehehehe 😀

  10. O Street Fighter The Movie – seja nas versões Arcade ou Playstation/Saturn (prá quem não sabe eram um tanto diferentes; a versão Arcade lembrava bem mais Mortal Kombat, enquanto que as versões caseiras para PSOne e Sega Saturn lembravam mais Street Fighter mesmo) – era bem fraquinho sim, mas não creio que seja digno de levar o prêmio de “o pior jogo de luta de todos os tempos”. Infelizmente existem jogos bem piores que esse.

    @Contra: valeu meu caro, já vou até postar minha opinião lá.

  11. Olá pessoal tudo bem que esse é uma copia ridicula de Mortal Kombat mas vejamos bem tudo que nos jogamos hoje é gringo porem esses games que clonavam MK naquela epoca eram bons pois nos brasileiros eramos arcaicos em termos de video game pois o Brasil não inventava nada nesse genero e até hoje é assim o unico game que foi criado no Brasil foi um jogo feito para a cantora Ivete Sangalo em 3d eu vi o projeto e o game e triste isso mostra que o Brasil ainda é arcaico em termos de tecnologia para games em relação aos Estados Unidos e Japão. Porque só agora vcs dizem que o game é tosco depois de tantos anos crie um game e me mandem que eu analiso vcs pensam que criar um jogo é facil a Midway já era rica desde aquela época por isso que o game Mortal Kombat ficou execelente melhor até que Street Fighter pois usava a tecnologia de digitalização com modelos humanos o que passou , passou criem um game se vcs forem capazes e sei que não são valeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *