Curiosidade dos games: os pseudônimos japoneses

Saudações aos eminentes.

No post de hoje tratarei de uma curiosidade dos games que achei interessante. Acompanhem que é uma história bacana.

Fica a pergunta para quem jogava videogames desde os tempos dos 8-bits, ou pelo menos da 16: ao terminar o jogo e começar a sequência de créditos vocês se deparam com uma série de nomes esquisitos ou um tanto incomuns mesmo para japoneses? Estou me referindo de exemplos como esses abaixo:


Em sentido horário: Double Dragon III, Bionic Commando, Alladim e Ninja Gaiden

Pois então, algo que nem passava pela minha cabeça é o fato de que esses nomes são pseudônimos pelos quais os artistas dos jogos se escondiam ou eram escondidos. Sim, porque segundo esse post do blog Retronauts, há uma razão por trás do uso de pseudônimos. O motivo seria que as empresas temiam que seus melhores artistas pudessem ser assediados por empresas concorrentes, então os forçava a usar pseudônimos nos créditos dos jogos. O curioso é que imediatamente veio algumas recordações de quando eu terminei alguns jogos desses e quando me deparava com nomes como aqueles, eu ria achando se tratar de uma modificação ou brincadeira dos responsáveis pelos cartuchos piratas.

De certa forma também, não é tão diferente do que a Atari fazia com seus funcionários, impedindo-os de ter seus créditos nos jogos da companhia. Como se sabe, isso motivou o primeiro easter egg da história dos videogames.

Outra informação interessante do post do retronauts, principalmente para quem gosta de saber mais sobre artistas e game designers, é que o “Runmaru” da foto acima é ninguém mesmo que Masato Kato, mais conhecido por seus trabalhos em Chrono Trigger e as séries Mana e Xenosaga. Ah, e se vocês procurarem por uma tal de “Pii” nos créditos de som de Street Fighter 2, é a mesma pessoa responsável pela trilha sonora do clássico de PS1 Parasite Eve. Pois é, vivendo e aprendendo.

Ok, não é nada épico, mas mas foi algo que achei interessante dentro do universo dos videogames. E vocês, conhecem alguma outra curiosidade do tipo? Postem aí nos comentários se conhecerem outras coisas bacanas assim.

Até o próximo post.

André V.C Franco.

16 thoughts on “Curiosidade dos games: os pseudônimos japoneses

    1. Adventure (Atari 2600) Adventure é um jogo eletrônico desenvolvido pela Atari para o console Atari 2600, lançado em 1979. É considerado o primeiro jogo de ação-aventura e seu criador, Warren Robinett, também introduziu o primeiro “easter egg” (ovo de páscoa) conhecido na história dos videogames.

  1. @Betinho: Ele estava falando da formação da Actvision, a primeira Third Party que surgiu. Ela foi formada porque alguns programadores da Atari estavam insatisfeitos por não serem reconhecidos por seu trabalho. O legal que isso foi realmente corrigido, já que os manuais dos jogos da Activison para Atari vinham com uma foto e até um autógrafo dos programadores… 🙂

  2. ninguem fechou o warcraft 2?

    os caras nao escondem o nome, mas nos agradecimentos botam restaurantes, apelidos, canais de teve, café e mais um monte de porcaria, inclusive um “brazil 2001” que até hoje nao consegui entender, ja que o jogo é muito anterior a isso.

  3. Acho que o exemplo mais grotesco disso são os créditos finais de Castlevania (o 1º para NES). Todos os nomes dos programadores são seres das trevas ou tem alguma alusão aos 1ºs filmes de Drácula lançado no ínicio do século XX

  4. haha no “final falso” do jurassic park no master system os nomes nos creditos são todos nomes de dinossauros… no final verdadeiro eu não sei pq naum consegui passar do t-rex 🙁

  5. Muito bom avcf!!! Cara no final do Megaman x 2 me lembro dos nomes serem desta forma também, acho que no x também, eu achava que eles colocavam desta forma por ser o nick deles ou algo do tipo, mas em meados de 93/94 acho que as empresas já não proibiam + de dar os créditos aos produtores né?! Aff eu tinha o jurassic park do master era muito bom mesmo!!!

    1. Não sei até quando essa, digamos, política durou. Mas tem cara de coisa do começo dos anos noventa mesmo, não me lembro de ter visto coisa parecida nos tempos de Playstation e Nintendo 64. Pior que agora sempre que terminar um game antigo ficarei de olho nesse detalhe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *