Embora imperfeita, apresentação da Nintendo salva E3 do marasmo

Saudações aos leitores.

Já fazia muito tempo que não escrevia isso, mas FINALMENTE a Nintendo fez uma boa apresentação para a E3. Não foi revolucionária nem teve nada de extraordrinária, mas depois de tantos filminhos e teasers sem vergonha (Uncharted, estou olhando para você) foi um alívio ver uma apresentação que se preocupou em mostrar GAMEPLAY na maior parte de seu tempo de exibição.  Digamos que se a E3 fosse uma prova escolar, a Nintendo teria tirado 7/10, a Microsoft 5/10 e a Sony -18.

A apresentação em si, embora gravada, esse ano teve bom ritmo e boa quantidade de anúncios, pontuada por cortes ora cômicos, ora informativos, com os desenvolvedores e produtores explicando seus jogos de forma sucinta, sem embromação. E por falar em comédia, a Nintendo acertou em optar por contratar gente do ramo – no caso os produtores do saudoso Robot Chicken do também saudoso Adult Swim do Cartoon Network –  ao invés de recorrer a infames e forçados apresentadores engraçadinhos. Porém, impossível por outro lado não dizer que aquela animação de lutinha entre Reggie e Iwata feita para apresentar Smash Bros foi nada menos do que boçal. Sério, queria entender porquê os dois perdem tanto tempo (e dinheiro) nessa forçação de barra pueril cujo objetivo claro é tentarem se perpetuar como personagens. Para quê?

Bom, para não perder tempo, vamos aos jogos mostrados:

Smash Bros.

É cada vez mais visível o capricho e o esmero que a Nintendo e a Namco estão colocando nesse jogo. Em ambas as versões a quantidade de opções, ajustes e modos está vastíssima. Sobre a versão 3DS, custo a crer que toda aquela ação será realmente exibida à 60 quadros por segundo mesmo com 3D estereoscópico ativado.  Os gráficos estão bons e a adição da Palutena como personagem jogável foi bacana, embora previsível. Será um dos grandes games do final do ano, além de ser bem capaz de ter um monte de gente que comprará as duas versões.

Amiibo

Está aí o Skylanders/Disney Infinty da Nintendo. Apesar do nome horrível, os bonecos são bonitos, parecem bem feitos e certamente têm seu apelo (eu mesmo gostaria de ser alguns na minha mesa de trabalho). Quanto a utilidade nos jogos, o que vi no Smash achei meio bobinho e desnecessário mas esse tipo de funcionalidade ainda será melhor detalhada futuramente. A ver.

Captain Toad

Quando era obrigado a passar por suas chatíssimas fases em Super Mario 3D World, sempre pensava “só me falta a Nintendo fazer um jogo inteiro disso”. Bingo, não falta mais. É inegável porém que o jogo está com visual bem feito e deve estar com centenas de puzzles diferentes. Deve ter quem goste, mas eu passarei longe.

Bayonetta 2

O jogo que cumpre a cota rardecore da Nintendo, tal qual aquele Ninja Gaiden do lançamento. Não achei o primeiro grandes coisas e nem jogarei esse. Pelo menos quem comprar um leva dois jogos pelo preço de um.

Yoshi’s Wooly World/Kirby and the Rainbow Curse

Os fofuchos da apresentação. Muito bonitos e extremamente fofos (sobretudo o Yoshi), a grande questão é saber se terão desafio. Digo isso não apenas porque estou vacinado depois do bonito e soporífero Kirby Epic Yarn do Wii, como ficou claro que o Rainbow Curse é uma expansão com estética de massinha do Canvas Course de DS (que era bacaninha e só). Como há poucos plataformas no mercado e o Little Big Planet novo foi constrangedor, torço para que esses dois sejam bons jogos.

Xenoblade Chronicles X

QUE JOGO, SENHORES, QUE JOGO! Merece até ser repetido em trailer próprio:

Nada menos do que sensacional, é o que pode ser dito sobre esse jogo. Não apenas porque tudo o que foi mostrado é de fato ingame, como a Monolith novamente fez um trabalho primoroso em todos os sentidos. Ainda mais vasto, belo e tecnicamente impecável que a versão anterior, a única decepção talvez ficou por conta de ter que esperar até 2015 para jogar esse desde já candidatíssimo a primeiro JRPG clássico da atual geração. Realmente esse foi o ponto alto da apresentação.

Zeldas

Não é que o Hyrule Warriors parece bem feitinho? Não sou fã dos Dynasty Warriors, e sendo bem sincero, não sei se compraria esse Zelda pagando o preço “full”, mas foi bacana ver como esse jogo está recebendo um tratamento correto, e não sendo tratado como um spin-off caça-níqueis. Será o típico jogo “da zoeira”, ou seja, para debulhar com alguém do lado e pode servir como um aquecimento para o “verdadeiro” Zelda previsto para o ano que vem. Sobre o teaser do Zelda…bem, sinceramente ainda não tenho opnião. Primeiramente porque é um teaser mesmo, então é da natureza desse tipo de video esconder muito mais do que revelar. E segundo, que por conta dos últimos jogos (ainda estou traumatizado pela ruindade de Skyward Sword), sinceramente não consigo acreditar no discurso do Aonuma, que todo jogo vem com aquele papinho “de que dessa vez será diferente, teremos grandes novidades”. Sei lá, só acreditarei vendo.E só para não deixar passar em branco, embora o visual do teaser seja bonito, eu preferiria bem mais aquela direção de arte linda do tech demo do lançamento do Wii U.

Splatoon

Fazia tempo que a Nintendo não anunciava uma IP nova, não? Então, está aí. Pelo que foi mostrado, será aquele jogo bem “zona”, e tem um potencial interessante caso tenha multiplayer local e online. Por outro lado, parece meio básico ainda, e também bastante parecido com aquele deBlob do Wii.

Mario Maker

Para quem sempre quis editar jogos do Mario, está aí a criança. A Nintendo enfim oficializou aquilo que já tinha aos montes pela internet, e não tardará para vermos toneladas de fases de jogadores. Talvez eu pegue, se não custar caro.

Bem, e é isso né? Se faltou alguma, me avisem por favor. Aliás, falando de falta, bem que podia ter tido alguma coisa de Metroid, afinal, depois do desastre “Other M” e uma temporada na geladeira, acho que agora seria uma boa hora para dar uma levantada nessa série. In a nutshell, foi uma apresentação leve, bem editada e divertida, sem contar que as apresentações ao vivo da “Treehouse” foram um bom complemento para quem queria ver mais sobre os jogos.

Até que enfim, Nintendo.

AvcF – Loading Time.

15 thoughts on “Embora imperfeita, apresentação da Nintendo salva E3 do marasmo

  1. Concordo, a Nintendo realmente surpreendeu positivamente dessa vez. Senti muito a falta de Metroid, queria também que tivesse pelo menos mais uma IP nova (os tais “Projects” são bem o que o nome diz, projetos). Serviu pra mostrar também que a Nintendo está completamente só, nem nos tempos do GC eu vi tamanho abandono por parte das third´s. Mas isso é fruto das escolhas equivocadas de construção do console e da política de mercado dela, está colhendo o que plantou.

    Faltou você falar do Devil´s Third, apesar de que, pelo que você expressou sobre Bayonetta, sua sobre esse jogo já estar meio que na cara. E brace yourself, por que daqui a pouco o revoltadinho do post sobre a conferência da Sony vem aí pra te chamar de “nintendista mimimi”…

    1. Ui, que medinha, a verdade dói? Acha justo falar mal da parte da série Powers (eu gostei, aproveitei pra ir ao banheiro!) e ignorar a enrolação para falar dos bonequinhos, do jogo do Yoshi e do novo Splatoons?! Se tirar a enrolação, a conferência da Ninendo teria uns 20 minutos, no máximo! Mas como a visão tacanha das viúvas dos anos 90 aqui é demais, prefiro voltar ao meu Watch Dogs e Mario 3D World e ver os chiliques de quem muda sua visão para avusar/defender quem lhe interessa.

      PS: O jogo do Captain Toad seria um excelente download de $15!

      1. Medo? Você tem o direito de falar e gostar do que quiser cara. Quando se trata de opinião não existe verdade nem mentira, só o que existe é o meu ponto de vista e o seu ponto de vista. Mas pra discordar de algo, é preciso ter classe. não critiquei sua opinião, critiquei sua postura em relação aos comentários. Você não está falando a “verdade”, está falando apenas a sua opinião.

        1. Exatamente, e na minha opinião, você ficou com medinha para não adimtir que a ‘grande conferência’ da Nintendo só foi grande porque tratou quem assistiu como um tapado, que precisa de 10 minutos para entender como cazzo um boneco com conexão wireless funciona (ainda se fosse algo inédito, mas não passa de uma melhoria dos bonecos da Activision e Disney). Retire toda a gordura para tapados que a conferência teve (sério, uns 20 minutos foram separados para o Super Smash Brothers, e já é o quarto jogo da série!) e ficamos uns 25 minutos, no máximo! (e os jogos mais legais tiveram o menor tempo).

          Ah não ser que os fanboys nintendistas sejam tapados mesmo, ai é caso perdido…

          1. Por isso o título “apesar de imperfeita”. O AVCF citou o que não gostou, eu citei no meu comentário o que não gostei e você fez o mesmo. Não acho que sou dono da razão, assim como não gostei da embromação da Sony, sei que teve gente que assistiu e achou o máximo, e respeito isso. Não adianta chamar os outros de fanboys e termos congeneres cara, aqui ninguém vai te responder usando termos parecidos. Se você quer brigar, se sente vai na Gamevício, no UOL Jogos, entre outros, e usa os mesmos termos que você usou aqui. Garanto que você terá diversão (se você se diverte brigando na internet, claro) por horas a fio.

          2. E eu disse que o comentário foi má-fé, por ignorar completamente que a conferência teve, no máximo, uns 20/25 minutos, com tanta enrolação boboca (menos as piadas, essas sempre valem a pena!).

            E essa ‘pseudo superioridade’ nas respostas também prova o nível de fanboyzice aqui, que consegue ser pior que nos outros lugares, com esta pretensa superioridade…

  2. Gostei muito do Direct. Adorei o estilo do Yoshi, mas também fiquei desconfiado se ele teria um bom desafio a oferecer, tal como no jogo do SNES. Bayonetta 2 já era compra certa. Agora então é só ansiedade. Sinto falta de uma pancadaria básica, então assim como Bayo2, também pegarei Hyrule Warriors. Smash parece muito bom, mas o que eu queria mesmo era um SF4.

    Xenoblade X foi bacana, mas esse já havia me ganhado no velho Wii. Zelda… Nossa!! Diferente de você, eu gostei de Wind Waker, adorei Twilight e amei Skyward. A expectativa pra esse então! Acredito que um vídeo tão breve se deve ao HW, não querem desviar as atenções dele. Até acho que se não houvesse a “certeza” de que ele seria mostrado, não o teriam feito.

    Sou dos que estão muito felizes por poder jogar GBA no Wii-U, até porque não puder jogar Minish, Fusion e tantos outros na fonte, e tê-los na TV traz uma ótima sensação. É como ter novos jogos pro Super… mas esperava muito o Game Cube no VC ser anunciado em algum momento, e não aconteceu. Pelo menos a CAPCOM tem uma lista excelente de coisas prometidas, como meu amado Demon’s Crest. Gostaria de ver também o retorno do Neo Geo, Mega Drive e Arcade

    Muito alarde por um novo StarFox, mas parece que não foi além de uma confirmação. Tem também o tal de Demon’s Third que eu curti. Acho que pode ser divertido, então ficarei de olho. O jogo de tinta parece bem divertido, mas essa cota já pertence a MK8. Além disso, não sou muito de on-lines. Mario Maker só vendo com o tempo.

    Por fim, tem muita coisa que quero na eShop, mais especificamente os jogos likeSNES. Sempre amarei os jogos em sprites.

  3. Você disse que não teríamos um meio-termo, seria a “glória” ou a “vergonha” . Acho que foi nem um nem outro, então tivemos um meio-termo 🙂

  4. O pouco que mostrou do Zelda achei muito bonito e quanto a direção de arte, não da pra ver muita coisa desse, então não da pra opinar. Mas o que foi mostrado me empolgou bastante, e a possibilidade de explorar aquele universo me animou muito. Ansioso já!!!
    Bayonetta achei bem legal o primeiro, e esse segundo ta sendo bem cuidado, quero muito jogar.
    Hyrule Warriors eu não me interessei nada quando anunciaram, agora que ta ganhando forma, ta parecendo muito bom.
    A Nintendo nos últimos dois anos vacilou demais nas E3 e parecia que nem estava lá, finalmente acertaram um rumo e esse ano virou assunto novamente, tem gente falando bem, outros falando mal, mas falando sobre, e isso é muito bom. Apesar que Sony e MS ajudaram bastante hehe

  5. Pra mim a pior coisa foi Zelda.
    Infelizmente já desisti da série.
    Ver o Aonuma mencionar “puzzles” logo de cara foi o suficiente pra mim. Infelizmente a série já é quase irrelevante.

    1. Acho que foi mostrado muito pouco, eu vou esperar mais antes de um veredicto. Não tenho nada contra os puzzles nas dungeons, ou até mesmo em outras áreas, só não acho que eles devam ser o foco, que a gente passe mais tempo resolvendo quebra-cabeças que enfrentando desafios. E a menção dele aos puzzles foi em relação a como chegar às localidades. Não sei você mas isso me lembra muito A Link to the Past, onde você via o objetivo no mapa, mas muitas vezes dava muitas voltas até conseguir até lá. Acho que foi isso que ele quis dizer.

      1. Sem contar também áreas inteiras que era muito mal usadas… po, você passa no Zora’s Domain, paga a taxa pra nadar e não volta nunca mais 🙁

    2. Aqui está mais ou menos um exemplo do que falei:

      Aonuma: So you know we’ve talked a little bit today about the puzzle-solving element in Zelda, and how that’s kinda taken a different shape in Hyrule Warriors. But I think people have come to just assume that puzzle-solving will exist in a Zelda game, and I kinda wanna change that, maybe turn it on its ear.

      As a player progresses through any game, they’re making choices. They’re making hopefully logical choices to progress them in the game. And when I hear ‘puzzle solving’ I think of like moving blocks so that a door opens or something like that. But I feel like making those logical choices and taking information that you received previously and making decisions based on that can also be a sort of puzzle-solving. So I wanna kinda rethink or maybe reconstruct the idea of puzzle-solving within the Zelda universe.P

  6. E aqui você vê como o blog é enviesado até dizer chega, quase retardado. Senta o dedo sobre tempo de TV e séries da Sony OK (mesmo que até faça sentido, já que a Sony também é um estúdio de cinema) e ignora completamente a enrolação de uma conferência que poderia ter a METADE do tempo!

    Ignorar os minutos infernais que a Nintendo usou para provar que lã era o material perfeito pro novo jogo do Yoshi, que o Splatoon pode ter várias táticas (sério, a Nintendo parece que descobriu os jogos multiplayer de batalha só agora) e que o Hyrule Warriors pode ter várias estratégias dependendo do personagem (porra, quantos jogos de beat up e hack slash existem?! Sério mesmo que só agora que eu posos pensar nisso?!) é, no mínimo, tredenda má fé e papinho de fanboyboca com visão tacanha.

    O conteúdo (jogos) foi bom? Sim. A conferência… que saco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *