F-Zero: uma estrela que a Nintendo apagou 2

Saudações aos universitários.

Após dar uma olhada nas listas de lançamento do Wii, me lembrei de mais um game que se por um lado é bastante aguardado, por outro foi negligenciado pela Nintendo: F-Zero. No post de hoje falarei um pouco sobre a trajetória dessa série de games de corrida. Sigamos, então.

Quando escrevi o post sobre a trajetória do Star Fox, sabia que em alguma hora acabaria tendo que falar sobre F-Zero. Olhando de um modo particular, os jogos são bastante parecidos entre si. Ambos são daqueles jogos que ninguém esperava que fossem lançados pela Nintendo. Considerando o estilo dos jogos dela até aquela época, Star Fox e F-Zero diferiam bastante do que havia sido lançado até então. Sem contar que ambos serviram como veículos para a promoção de ferramentas de tecnologia (F-Zero com o Mode 7 e Star Fox com o Super FX).Mas por outro lado, a forma com a história das séries se desenrolou é que foi bastante diferente. Deixo a Fox e sua turma de lado e me foco nas corridas espaciais agora.

O lançamento espetacular

Se teve um console cuja linha de games de lançamento foi sensacional, esse foi o SNES. Para demonstrar as novidades gráficas do console, o design dos jogos foi direcionado de forma a usar esses efeitos como parte do gameplay. E aí que brilhou o surpreendente e espetacular F-Zero.

Perdoem o termo, mas quando foi lançado, F-Zero era simplesmente um jogo FODA. Me lembro bem que quando vi o SNES pela primeira vez, F-Zero foi justamente o primeiro game que joguei, antes mesmo de Super Mario World. A frase soa idiota, mas foi ali que percebi na prática o que de fato era um game “16-bits”. Isso porque aquilo que via na minha frente era impossível de acontecer no NES, enquanto que os games de Mega Drive da época (lembrando que F-Zero foi lançado em 1990) mais pareciam com versões pioradas dos games de arcade (e boa parte deles eram ports piorados mesmo). Ah sim, a eterna reportagem do Globo Repórter serve para ilustrar o que foi a fodacidade de F-Zero em seu tempo:

Impossível mencionar F-Zero sem falar de sua trilha sonora. Qualquer retrogamer que se preze é OBRIGADO a conhecer no mínimo as trilhas das pistas Mute City e Big Blue:

Mesmo anos depois de ser lançado, F-Zero permaneceu como um dos melhores games de corrida da biblioteca do SNES. Isso graças a suas pistas desafiantes, gameplay ágil e variado, com saltos, ultrapassagens e corridas agressivas. Um clássico eterno que merece sempre ser rejogado.

Rolando Ladeira

Mas infelizmente apartir daqui a série despenca ladeira abaixo. Oito anos depois da versão SNES, F-Zero X foi lançado para Nintendo 64. FZX não é de forma alguma um game ruim, mas na melhor das hipóteses consigo considerá-lo no máximo como medíocre. Se por um lado o game tem mais modos, opções, carros e a manutenção da alta velocidade; por outro muito da originalidade e dos méritos tecnicos foi perdido. F-Zero X é um game tecnicamente pobre, com gráficos e sons abaixo do padrão dos melhores games do Nintendo 64(e mais abaixo ainda dos melhores games da Nintendo). Tirando os remixes das músicas presentes no SNES, as demais são genéricas e sem graça. O jogo teve impacto nulo e pouco sucesso, sem contar que após o lançamento de Ocarina of Time três meses depois (FZX foi lançado em setembro e OoT em dezembrode 1998), foi rapidamente esquecido.


A história em quadrinhos que vinha com a versão SNES era bem bacana. Não me lembro de ter isso nas versões seguintes

F-Zero só retornou cinco anos depois, quando foi lançado para GameCube (F-Zero GX)e Arcade(F-Zero AX) em 2003. Todavia, ao contrário das versões anteriores, não foi a Nintendo, mas a Sega (via estúdio Amusement Vision) quem desenvolveu o jogo. Vale lembrar que a Nintendo estava naquela fase de buscar colaboração com empresas terceirizadas, como também aconteceu com a Namco e Capcom, por exemplo. No aspecto geral a Sega fez um bom trabalho, uma vez que F-Zero GX é muito melhor que F-Zero X em todos os aspectos. Porém, por outro lado ela falhou em recriar a, digamos assim, mágica da clássica versão SNES. A começar pela trilha sonora, um techno insosso e até meio chato. Também achei a dificuldade meio estúpida em certas partes, como algumas missões e umas pistas (não me recordo do nome delas agora).

A mim também pareceu um tanto idiota aquele plantel cheio de corredores meio esquisitos e carnavalescos. Não por serem meio esquisitos e carnavalescos, mas porque a maioria deles não servia para nada na prática, já que os bons mesmo eram uns três ou quatro (ironicamente o Captain Falcon era um dos piores). De qualquer forma, com suas falhas e acertos o fato é que F-Zero GX foi um fracasso comercial (se não me engano não vendeu nem um milhão de cópias), e desde então a Nintendo não fez mais jogos dessa série nos consoles de mesa (teve uns joguetes meia boca para o GBA, mas esses eu desconsidero). Já são sete anos sem um F-Zero, e considerando o efeito que o Wii tem tido com alguns clássicos (New Super Mario Bros e o vindouro Donkey Kong Country Returns são exemplos), se a Nintendo quisesse, um grande game poderia ser feito.

Por fim…

Para efeito de curiosidade, vejam (ou revejam)o trailer de lançamento do 3DS:

Lá por volta de um minuto e pouco, atentem para aquela parte em que uma série de objetos saltam da tela do 3DS. Reparem que que nesse trecho há referências a diversos jogos como Super Mario Bros, Zelda, Donkey Kong, Mario Kart e até Star Fox; dando a entender que o 3DS será um portal de lançamento dos clássicos da Nintendo. F-Zero está tão por baixo que não há uma só mençãozinha nesse video, isso porque na E3 até o obscuro Kid Icarus ganhou anúncio de um novo título. Ok, não é para levar o video tão a sério, mas acho que não sou tão louco assim.

Bom, tanto faz. O fato é que tal qual Star Fox, F-Zero foi uma uma estrela que a Nintendo apagou. Não deixa de ser irônico que ambos os games tenham temas um tanto parecidos (futuristas e espaciais). O porquê da Nintendo desprezar tanto clássicos como esses, eu realmente não sei. Mas que merece(m) uma chance, isso é inegável. Como lutador, Captain Falcon é um grande piloto. E vocês, o que acham?

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

29 thoughts on “F-Zero: uma estrela que a Nintendo apagou 2

  1. eu achava bacana o f-zero no snes…MAS…eu tinha top gear na epoca e quando joguei o f-zero,ate q era divertido mas eu e meus amigos gostavamos mais do top gear!

  2. Nossa, o Fzero do SNES foi mágico. Lembro bem deste Globo reporter, e as imagens do Fzero nao sairam da minha cabeça ate eu comprar o console.
    Realmente a Nintendo ta devendo nessa, mas certamente sairá um FZero alto nivel, assim como está saindo novos DK, Super Mario Bros Wii, etc….

  3. Eu até gostava do F-Zero X, sabem? Digo… numa dessas senti uma falta de algo mais, digamos “exótico” no quesito corrida, e na época o que tinha era isso mesmo. E o F-Zero GX é sim muito “fru fru”, (como eu já havia dito anteriormente nesse mesmo blog) apesar de estar longe da ruindade.

    E sempre tem um jogo da Nintendo que “pula” uma geração; no Nintendo 64 foi o Metroid, no GameCube (e agora, com o Wii) foi o Pilotwings (não faz falta nenhuma, na boa…), e por aí vai. Mas é estranho que NEM NO DS F-Zero deu as caras. Desperdício, gente… 🙁

  4. F-Zero Maximum Velocity do GBA foi o que eu mais joguei até hj, mais até que a versão do Snes, gostei muito desse jogo não só por ter sido o primeiro game que joguei no GBA logo que comprei, mas sim pelo desafio em si, me lembro que terminei muitas e muitas vezes, tinha todos os carros extras, nossa tirando a versão do Snes que foi a primeira a do GBA para mim foi a melhor, teve muitas melhorias com relação a do Snes.

    http://www.youtube.com/watch?v=T3KAdUnESy0

  5. tambem tenho o fzero do GBA original e nao me arrependo, ao contrario do avcf, considerei ele uma copia moderna do de snes só que mais polido e com velocidade muito mais insana, sendo dificil de domá-lo nos primeiros momentos e muito gratificante depois que se consegue.

    os unicos contras mesmo são os personagens muito insonsos e clichés e que esse jogo comia pilhas de forma descomunal, mas nao me arrependo jamais da compra.

  6. Curto muito F-zero desde o SNES, joguei todas as três versões para console, o primeiro é um cléssico inegável, o do N64 só peca no detalhamento gráfico que teve que ser compremetido em prol dos 60fps, a do cube vendeu + de um milhão sim Avcf! Na boa a melhor versão é a do cube cara, rápido, gráficos de ponta, e ainda tem até um history mode bem legal! Não sei também o porquê de você não ter gostado das músicas… gostei muito da variedade e são de muita qualidade também. @Trouble Man Não senti a menor falta do Pilotwings também ow joguinho sem graça!

  7. @George Sadat : e não tem lá muito a ver com o tópico, mas…]

    E aquele Blast Corps então? Prá que serve aquilo, gente? P

    Mas podiam fazer com o F-Zero o que fazem com o Mario kart, onde EM TODO SANTO CONSOLE DA NINTENDO tem que ter pelo menos um título da franquia. Mas aí é que tá, o mario chama muito mais consumidores (casuais ou não) do que o Captain Falcon… 🙁

  8. Deviam lançar para todos os consoles da Nintendo mas não querer focar no Captain Falcon, e sim num jogo de corrida futurista com alta velocidade, loopings e curvas insanas, musicas que emecionam e remetem a velocidade e a ação onde o Captain Falcon faz parte apenas, e não fazer dele um personagem principal.

    Ai caberia a Nintendo criar outros personagens, é um jogo de corrida faz um pra cada um tipo de personalidade em geral e pronto.

  9. Acabei de me lembrar, apesar do theaser do 3Ds não aparecer nada sobre F-zero vi uma entrevista do Miyamoto San respondendo que F-zero não apareceu ainda no Wii porque a plataforma mais adequada para ele seria o 3Ds, não exatamente com essas palavras, mas com certeza o próximo sera para o novo portatil, muito provavel que seja lançado junto com a primeira leva de jogos, como aconteceu no GBA.

  10. Bom discordo completametne com quase tudo que vc disse.

    F-ZERO X é FODA! Os gráficos são sim ridiculos, mas e daí? São 30 carros simultaneos na pista rodando a 60fps no lixo do hardware que era o N64, no final das contas eles priorizaram o GamePlay quase perfeito. Acho q vc devia dar uma chance pro jogo ao inves de simplesmente nao querer joga-lo pelos graficos… isso parece coisa de “rardecore” como vc diz 😀

    GX : Esse jogo fez eu me sentir como esse cara do primeiro comercial ae… Camera em primeira pessoa, turbo turbo turbo, reta final… CALAFRIOS!!!
    O maior problema é q por causa disso é dificil de controlar…

    os 3 do GBA:
    Como vc pode falar que os sucessores do F-zero do snes sao inssossos? 😛
    Sério! A Jogabilidade é ate um pouco melhor q no snes… Não te entendo.

  11. E serviu de inspiração até para a (questionável) série Wipeout, e também para a (ainda mais questionável) série Extreme G. Quem aí se lembra dessas?

  12. Então…. qdo comprei meu snes, no fim da vida dele, ele veio com top gear 2 que kra…. ERA ANIMAL!!!

    fui jogar f-zero e…… não gostei. Gráfico pior, jogabilidade estranha…….
    como eu gostava MESMO era de jogar lotus challenge 2 no amiga, o FZero pra mim era um jogo…. simples, normal e com um ar de que era muito bem falado mas não apresentava nada demais pra mim…….

    assim como star fox, é uma série que não me importa….

  13. Eu suspeitava que eles estejam guardando Star Fox e F-Zero mais pro final do Wii, pra dar aquela respirada e vender mais alguns milhões de consoles. Espero que seja isso, a mecânica de jogabilidade do Wii é perfeita pra esses dois games. Por favor Nintendo, faça-os, só isso que pedimos!!!

    Adorava F-Zero X. Correr a 1200 KM/h aauhauhauhauhahu

  14. Vamos lá crianças, vamos voltar à escola:

    Eu suspeitava: pretérito (não lembro qual), mas é passado!
    que eles estejam (presente do subjuntivo)……. ou seja, total discordância verbal!!!!
    não seria “eu suspeito” (presente do indicativo) que eles estejam (presente do subjuntivo) ou eu suspeitava (pretérito não sei o que) que eles estavam (pretérito X do subjuntivo)????

    =D

    huaeihaeuheauehauaehuae
    sorry, não resisti!!!! 😀

  15. *Pilotwings é bom sim, p###!! O do N64 é bacana, apesar de graficamente ser bem tosco. E POR##, Blast Corps é sensacional, um verdadeiro underrated!

    F-Zero pode ser uma estrela apagada em termos comerciais, porque, falando tecnicamente, posso dizer que a série evoluiu bastante em termos de gameplay, desafio etc.

    Como o Rodrigo Cardoso ali falou, o FZX vinha com 30 corredores, cara eu fiquei na maior expectativa pra jogar isso, era um negócio muito diferente pra mim. Fico lembrando aqui daquelas disputas infernais no multiplayer, principalmente quando arranjei 4 controles. Jogamos umas 70 corridas sem cansar, épico.

    … e pra ganhar os campeonatos no nível Expert!? Lembro que tinha que ser muito ágil pra acabar com o maior números de rivais possíveis (aquelas batidas laterais inovadoras na série) pra aí sim pensar em ganhar a corrida. Pra ter mais adrenalina, restava torcer pra ganhar por míseros pontos naquele ranking gigantesco que oferecia muitas reviravoltas…

    …. caramba, e as pistas? Tem umas que são inesquecíveis. Eu gostei bastante das variações da Mute City, da Fire Field, daquela Big Blue naquele tubão (algo assim) que exigia muita técnica, Rainbow Road….. e claro…. a Big Hand.

    Se fosse pelos gráficos, eu também teria deixado de jogar Mario Tennis, Mario Party, Smash Bros. etc no N64.

  16. Valeu pela matéria!!
    Cara pra mim F-Zero do Super é o melhor mesmo, o que mais me diverti jogando. Músicas, pistas. E meu primeiro foi F-Zero GX!
    Gosto pra caramba do X também, e duvido que quem jogou pensa que nem você. Mas ele e GX fracassaram? Não sei disso não, queria ver dados mais “concretos”!
    Só não curto muito o GX por causa da dificuldade. O estilo das músicas mudou mas não acho que faz feio não, combinado com o visual foda!

    O que acho meio ruim nos sucessores é o que você falou, esse monte de personagens. Não acho isso necessário.

    Que venha um novo F-Zero, aposto no 3DS!

    E vendo essa reportagem da Globo, acho meio chato como hoje o pessoal não se impressiona com nada e esses jogos mais antigos são menosprezados.

  17. Porque você não falou do F-Zero2 do Snes?! Eu considero ele melhor do que o anterior (deram um tapa no gráfico).

    O F-ZeroX jogo até hoje no emulador, aliás, ele é um dos jogos que eu considero o N64 valer a pena. Não pelo gráfico ou música (pra mim um ponto fraco DO console), mas pela ótima jogabilidade e um ótimo sistema de campeonato.

    Os do GBA eram excelentes! Para mim os melhores de corrida do console! Também acho eles bem melhores que os do Snes.

    Os outros (GX e AX) eu não joguei… no coments. 😉

    Entretanto, NUNCA gostei daquele monte de personagens idiotas e inúteis, que só faziam o jogo parecer uma produção “caça-níquéis”.

    @TroubleMan: Bom você falar de WipEout’, pois eu era definitivamente VICIADO nele, e sempre o tive como muito superior a F-Zero. Ta que era BEM mais difícil de jogar (aliás, MUITO mais difícil!), mas tinha cenários muito mais elaborados e, principalmente, uma trilha sonora que eu considero perfeita! Joguei até quase cair os dedos WipEout’ e WipEout’ 2097. Clássico…! Uma pena a Sony ter comprado a Psygnosis só para DESTRUIR todas as obras do estúdio (que aliás, era um dos meus prediletos). Assim como F-Zero, outra grande franquia assassinada… =/

    Também fiquei frustrado com WipEout’ 64, que eu esperava muito e só melhoraram a jogabilidade… Achei meio sem graça, sem emoção, pistas muito simples e cenários apáticos, além da trilha sonora bem chatinha… Não me surpreende ter sido feito pela Midway.

  18. Acho que o André V.C Franco equivocou-se ao desconsiderar as versões de f-zero para gba… como assim meia boca!? se os gráficos e a jogabilidade são infinitamente melhores que a versão do snes, bora ser saudosista mas não menosprezando o que não conheçe.
    PS. pra mim o castlevania order of eclesia conseguiu superar o SotN!

  19. Olha realmente a versão do Super Nintendo é Épica, eu pulei o Nintendo 64 na boa Resident Evil erá melhor gente, e não me arrependo, nintendo levou um pau nessa geração mesmo =/.
    Agora sempre disse e vou dizer, é triste ter trocado a nintendo, por que ela foi burra demais pros negocios, mais quando saiu o Nintendo Game Cube, senti que ela tinha voltado a lutar de igual pra igual…, e F ZERO GX demonstra isso, depois de anos des do Super Nintendo ver a Blue Falcon tão real O_O”…… Aquela versão de Mute City foi de chorar velho, e não estou dizendo mentira.
    Acho que pra quem amava a Nintendo, e teve que fugir do Nintendo 64 por motivos obvios, por que até um Saturno erá mais competente =/ realmente ama o Game Cube com uma paixão tão absoluta que o wii foi até inferior…. Por que hoje jogadores de wii sofrem o mesmo que sofriamos no nintendo 64 (perdendo jogos por falta de competencia de hardware)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *