Game Contraste: Zombies ate my Neighbors(SNES/Genesis)

Saduações aos inconstantes.

Primeiro Game Constraste do ano será 16-bits, e será um joguete daqueles que não chegaram a ser um clássico, mas quem era da época certamente deu ao menos uma experimentada: Zombies ate my Neighbors. Vamos em frente que lá vem os zumbis.

Lançado em 1993 pela Konami e produzido pela Lucas Arts (que ainda era criativa e não vivia de caça-niqueis de Star Wars), Zombies era um daqueles joguetes de ação e tiro que não tinham nada de especial ou genial, mas quando era jogado divertia com seu gameplay feijão com arroz. O conceito geral era simplório: zumbis estão devorando seus vizinhos e cabe a você (escolhendo entre um menino ou uma menina) salvá-los, além de, claro, detonar com os zumbis. Se é que há alguma outra coisa na trama, é tão desprezível que nem me dei ao trabalho de saber. O esquema de jogo consistia em atirar nos zumbis com armas como pistolas laser, explosivos, extintores e etc; além de resgatar os vizinhos pelo caminho:


Dorgas, mano

Zombies também tinha uma atração a parte: seu humor peculiar, quase surreal, cujas referências aos filmes de ficção científica antigos eram a base para várias piadas e situações engraçadas que aconteciam durante o jogo. Esse aspecto ajudava também a aliviar a repetição do gameplay, ainda mais que o jogo tinha mais de cinquenta fases. Esse humor também estava presente na capa do jogo, com sua estética propositalmente trash imitando os cartazes dos filmes B dos anos antigos. Mas o problema aqui talvez tenha sido o exagero na piada, já que a ilustração não se comunica em nada com o que é o jogo de fato. Primeiro porque provavelmente a molecada que joagava SNES e Genesis não devia ter a referência dos sci-fi velhos, e uma arte mais cartoon também poderia passar a mesma mensagem.

Esse tipo de ilustração se fez presente em alguns games para PC, cujo séquito de jogadores adultos era bem maior, por exemplo. Aliás, se fosse a arte típica dos jogos da Lucas Arts é certo que teria um visual bem mais interessante (peguem capas de jogos como Maniac Mansion e The Dig e comprovem isso). Isso tudo sem contar que aquela mulher louca conseguiu ficar mais assustadora que os apáticos zumbis mais ao fundo da composição. Aliás, não sei porque os protagonistas do jogo foram omitidos da capa, somente aparecendo na horrível versão européia, rebatizada de “Zombies” apenas.


Quando falei em visual cartoon, não era para ser esse esculacho

No fim das contas, Zombies ate my Neighbors foi mais um joguete simpático que desapareceu nas areias da irrelevância. Foi recentemente ressucitado no Virtual Console, mas acho que ninguém se importou. A capa não ajudava, mas também não atrapalhou tanto assim. Atualmente o genêro o “zumbis com Zorra Total” está muito bem servido com Dead Rising e Left 4 Dead, então não há espaço para Ate my Neighbors. Mas quem sabe um dia, pois se os mortos podem voltar a andar entre os vivos, por que não um game?

André V.C Franco/AvcF – Loading Time

10 thoughts on “Game Contraste: Zombies ate my Neighbors(SNES/Genesis)

  1. Eu joguei muito esse game no Mega Drive, gostava mesmo, mas com seus 55 fases desanimavam qualquer mortal que ia nas locadoras pra alugar games. Divertido mesmo, e demorei a tomar coragem pra alugar por conta da capa estranha realmente.Agora que vc falou, me dei conta de tal coisa hehe!!!!

  2. Falando em capa ruim, lembrei do Body Harvest, do Nintendo 64; eu via aquele cartucho aos montes, e sempre achei que o jogo fosse uma me*** devido a box feiosa para caramba… me arrependi.

    E quanto ao Zombies AMN, um clássico.

  3. alugava esse zombies vários finais de semana seguidos pra tentar fechar e acho que nunca dei conta.
    pensando bem, na minha vida inteira só aluguei mais mario kart que zombies, grandes baluartes da minha infancia.

  4. Esse jogo era muito bom, lembro que aluguei ele uma vez na game war e combinei com meu amigo pra pega ele pra fecha não importa quanto tempo demorasse haha ficamos o dia inteiro jogando e só fomos termina no outro dia, simplesmente viciante!

  5. Nessa época cheguei a jogar a versão Mega Drive – e me divertia muito com a mesma.

    Que pena que a Konami praticamente se esqueceu desse jogo, pois seria maravilhoso se eles resolvessem fazer uma seqüência…

  6. foi uns dos melhores jogos que joguei e está ao nível de rock roll RAcing, doubleDRAGON!
    era um jogo sem malicia, que tinha utilizar inteligente e agidade!

    se tivesse um versão nova dessa compraria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *