Mortal Kombat: A crônica de um fracasso

Saudações aos déspostas.

Os leitores mais antigos do blog já devem ter visto em posts do passado (ui) várias citações nada positivas à série Mortal Kombat, por parte desse escriba (que profundo). No post de hoje eu finalmente explicarei as razões de meu escárnio (agora vai!). Através de extensa pesquisa do Instituto de História Aplicada dos Jogos Eletrônicos do Vale do Jequitinhonha, apresento-lhes a crônica de um fracasso, ou a recompilação histórica da franquia Mortal Kombat. Sigam-me os bons.

Mortal Kombat foi uma franquia bastante citada nos artigos Bad Trip, direta ou indiretamente. Me lembro que em algumas vezes me perguntaram o que tinha contra Mortal Kombat. Bom, “contra” em si, nada. O que acontece é não sou saudosista, portanto não deixo de reconhecer games ruins só porque eles são antigos, ou sei lá, considerados clássicos. É o caso aqui.

Mas nem sempre Mortal Kombat foi ruim. Todos sabemos que o primeiro título foi um fenômeno no mundo dos videogames. Para a época a qualidade era suficiente. Embora Mortal Kombat fosse absolutamente inferior a Street Fighter 2, tinha um trunfo importante a seu favor: os fatalitites. Pela primeira vez nos games de luta o jogador tinha a opção de matar seu oponente com um golpe feito especialmente para isso. Foi uma idéia de design brilhante, responsável por muito do impacto que o game teve na época. Sem contar o estágio The Pit, uma atração à parte. Todo esse impacto foi para o bem e para mal, pois se por um lado os fatalitites alavancaram o sucesso do jogo, motivaram uma inédita onda de pânico moral e perseguição aos videogames em geral. Leiam o capítulo “Moral Kombat” do livro Ultimate History of Videogames, para vocês terem uma idéia do que estou falando.

Mesmo com toda reação contrária, os ports vagabundos da Acclaim para os consoles venderam milhões. Mortal Kombat se tornou uma mania, foi copiado por outros games de luta e estabeleceu-se como uma marca dos videogames. Alguns de seus personagens, como Sub-Zero, Scorpion e Kano foram considerados “badasses” entre os jogadores, competindo em popularidade com Ryu, Ken e Guile, de Street Fighter 2. Sonya teve um status parecido com o de Chun-Li.

Mortal Kombat 2: o auge

Mais óbvio do que 2+2=4, era o fato que Mortal Kombat 2 logo seria lançado. O game foi lançado sob enorme expectativa, e a cumpriu. A parte técnica foi bastante melhorada, a movimentação lenta e desajeitada e os controles duros da versão anterior foram também bastante aperfeiçoados, possibilitando lutas bem mais técnicas. Os fatalitites foram expandidos para dois por lutador, além de serem mais violentos e criativos. Embora eu considerasse os friendships idiotas, alguns eram aceitáveis. Por outro lado, os personagens novos eram interessantes e carismáticos, como Kung Lao, Kitana, Mileena e Baraka. Os novos chefes Shao Kahn e Kintaro também foram bem recebidos pelos joagadores. Os bordões de Shao Khan como “you will never win” e “pathetic fool” duraram anos.

Embora com gameplay inferior à seu concorrente na época, Super Street Fighter 2, Mortal Kombat 2 foi um game de luta respeitável. Mesmo os ports para consoles foram mais competentes que os de Mortal Kombat, era um game que podia divertir bastante no modo versus. Tinha uma experiência honesta, e claro que também foi um grande sucesso comercial. Rendeu milhões de dólares, e em todos os lugares que me lembro de ter visto, é até hoje considerado o ponto alto da série, ponto de vista que compartilho. É o único Mortal Kombat que eu voltaria a jogar se fosse perder um tempo com emuladores.

Mortal Kombat 3 em diante: ladeira abaixo

Agora a coisa começa a ficar feia. Eu joguei bastante Mortal Kombat 2 na época, então fiquei atento quando começaram a sair as primeiras informações sobre Mortal Kombat 3. Eu tenho algumas revistas antigas que deram enorme destaque a MK 3, e claro, todo mundo achava que seria “aquele” jogão. Mas o que aconteceu é que se tornou “aquela” porcaria total. Um detalhe trash, é que em 1995 eu viajei para o Paraguai e comprei um cartucho pirata de Mortal Kombat 3 lá. Isso é que é fundo de poço…Mas voltando ao ponto, o fato é que MK 3 detonou com a credibilidade que a série tinha construído até ali. Uma das piores coisas foram aqueles personagens ridículos como os três robôs vestidos de pilotos de motocross, a cover da Elvira, o policial-mano com cara de idiota, a Goro fêmea, Kabal e sua horrível máscara de homem elefante, e por aí vai.

Mas o pior era o gamplay, arruinado por deversas idéias idiotas de design. A primeira coisa era o infame botão de corrida, necessário para fazer TODOS os combos do jogo. Segundo que o jogo era completamente falho e irregular, cheio de combos infinitos, com alguns impossíveis a ponto de só o computador ser capaz de executar. Sobre isso, eu cheguei a ver coisas como o computador dando combos com o meu personagem COMPLETAMENTE DEITADO NO CHÃO, ou ainda no ar (seja durante uma queda, ou mesmo durante um pulo). Sem contar que o sistema de danos era uma piada. Outro problema grave de Mortal Kombat 3 era sua desonestidade. A dificuldade, por exemplo, era bizonha: primeiro o jogador encarava uma luta de dificuldade fácil, para na luta seguinte a dificuldade se tornar insana e absurda. Isso em qualquer nível, fosse no easy, medium ou hard. Como o jogo lia as entradas de comando do jogador, o computador era capaz de predizer quase todos os movimentos do jogador, tornando a vitória algo quase impossível de se alcançar.

O jogo era uma completa desgraça, ainda mais quando consideramos que em 1995 tinhamos The King of Fighters 95, Killer Instinct e Super Street Fighter 2 Turbo para jogar. Mesmo com as revisões que as versões arcade sempre tiveram, Mortal Kombat 3 era uma coleção de bugs e má programação. Algum tempo depois foi lançada a primeira atualização: Ultimate Mortal Kombat 3. Ao invés do pessoal da Midway tentar melhorar de alguma forma aquela gororoba, eles conseguiram a proeza de fazer UMK 3 ser ainda pior. Mais bugs, mais combos mentirosos e sprites reaproveitadas sob a desculpas de personagens como Ermac, Human Smoke e o pior deles – Rain, um ninja roxo (Jesus…) que era um personagem incompleto e remendado às versões Genesis e SNES. Mas o que é ruim sempre pode piorar (ah, vocês estavam esperando por essa frase que eu sei…), e aí veio nada menos que o lixoso e fétido Mortal Kombat Trilogy. Esse é tão ruim e como já falei dessa coisa antes, nem perderei meu tempo descrevendo essa bomba.

O Fundo do poço

Após se tornar uma completa piada como game de luta bidimensional, o pessoal da Midway resolveu levantar, sacudir a poeira e ir na direção do 3d. Mesmo assim, as revistas de videogame acometidas por uma estranha amnésia teceram reportagens cheias de destaque, criando a expectativa de que mais um grande game de luta estava a caminho. Em 1997 Mortal Kombat 4 e…novo fracasso. Tecnicamente o game era até competente, com bons gráficos tridimensionais e trilha e sons bem feitos, porém as animações eram ruins e forçadas, tornando os personagens muito desengonçados. Alguns fatalities se tornavam shows de comédia involuntária por causa disso. Um detalhe engraçado é que cada personagem tinha uma arma, que ao ser acionada era tirada da bunda (é sério), e os movimentos de ataque pareciam um balé bêbado. Entretanto, novamente o game tinha falhas graves de gameplay. A maldita corridinha continuava, bem como os combos forçados e (em menor grau que os anteriores)o desequilíbrio de personagens. Me lembro também que o pulo dos bonecos era meio estranho, o movimento era curto e impreciso. No geral Mortal Kombat 4 não era uma atrocidade como Trilogy ou Ultimate, mas estava longe de ser um joguete que dava para levar a sério, nem mesmo entre os games de luta 3d. Sim, pois MK 4 perdia mesmo para games como Tekken 3, Soul Edge e até para Street Fighter EX. Sem contar que já no ano seguinte (1998) foi lançado Virtua Fighter 3, game cuja qualidade enterrou qualquer possibilidade de sucesso de MK 4.

Depois de fracassar no 2d e no 3d, parecia ser ali o fim da série. Mas alguns anos depois, o pessoal da Midway resolveu dar um “reboot” na série, e em 2002 foi lançado Mortal Kombat Deadly Alliance. Mudanças drásticas foram prometidas, seria o fim das palhaçadas, etc e tal. As armas foram melhor integradas ao gameplay e cada personagem passou a contar com três estilos de artes marciais para utilizar durante os combates e o principal: finalmente a antiga estrutura de controle foi abandonada. Então quer dizer que finalmente Mortal Kombat ganhou um clássico depois de Mortal Kombat II? Hm…não. Deadly Alliance era um game de luta respeitável, porém claramente inferior aos games de luta tridimensionais da época. Quem iria quer jogá-lo quando tinha para escolher no mercado games como Soul Calibur 2, Tekken 4 e Super Smash Bros Melee? Sem contar que Deadly Alliance era um game que tinha pouca personalidade, pois além de seu gameplay imitar alguns aspectos de Tekken 4 e Virtua Fighter 4, os personagens novos eram genéricos. Por falar nisso, o design de personagem dessa versão era sofrível. Mas o fato é que nem a Midway botou muita fé no jogo, pois a quantidade de ports foi bem menor (apenas quatro versões), sem contar que foi a primeira vez na série que o jogo não foi lançado nos arcades. Não tenho certeza se foi um fracasso comercial, mas é fato que Deadly Alliance não chegou nem perto de fazer sucesso. Até porque não passou de um game comum com um nome outrora famoso.

Um ano depois de Deadly Alliance a Midway lançou Mortal Kombat Deception, que com o perdão do trocadalho do carilho, foi só uma decepção. Deception era apenas uma expansão de Deadly Alliance, mas não corrigia os defeitos do anterior nem tinha nada de especial para justificar seu lançamento. No máximo o jogo se aprofundava na super “trama” de Outworld e suas bobagens. Claro que Deception passou despercebido pelo grande público. Mas como o pessoal da Midway devia ter algo de brasileiro no sangue e jamais desistiam, pois lançaram em 2006 Mortal Kombat: Armageddon. Sinceramente acho que um título mais honesto poderia ser “Mortal Kombat: Jogamos a Toalha”, “Mortal Kombat: Desistimos de vez de fazer algo que preste” ou ainda “Mortal Kombat: Quer saber, foda-se”. Armageddon conseguia ser pior que seus antecessores. Além do plantel de personagens ser um reaproveitamento só, os produtores tiveram a proeza de tirar os fatalities, simplesmente a maior marca registrada de toda a série. Ao invés de se esforçarem o mínimo que seja para criar novos fatalities, os preguiçosos produtores jogaram essa tarefa sobre as costas do jogador QUE PAGOU pelo jogo. Cacetada, eu ficaria feliz da vida se Capcom vs Tatsunoko não tivesse nenhum especial e o jogo me obrigasse a entrar em um editor safado para eu ter que fazer um. Mas das super sacadas geniais do jogo a pior sem dúvida foi aquela atrocidade chamada Motor Kombat. Os caras nem conseguiam fazer um game de luta que prestasse e ainda inventaram de querer fazer um minigame clone deformado de Mario Kart. You did it wrong, boys.


Isso era tudo o que um game Mortal Kombat precisava

Em 2008 Mortal Kombat vs DC Universe foi lançado para os consoles HD. Embora seja claramente um clone safado dos crossovers da Capcom, MK vs DCU deve ter suas qualidades. Mas o fato é que ninguém mais liga para Mortal Kombat, isso não é nem recente. De referência dos arcades e até alvo de perseguições por parte de políticos conservadores, Mortal Kombat se tornou uma triste e sem graça piada no mundo dos videogames. Mesmo a violência característica de seus jogos, que chocava no passado, hoje é vista como um recurso bobo, pueril e forçado.

Ano passado foi anunciado que Mortal Kombat 9 está em produção, e novamente houve a promessa de que será um game sério. Mas de depois de tantas lambanças e da credibilidade a muito tempo perdida, fica difícil acreditar sem uma prova contundente. Não prejulgo jogos que nem lançados foram, mas nunca perderei meu tempo criando expectativas de um jogo que há anos não se leva a sério. Mortal Kombat é a crônica de um fracasso, é a trajetória que mostra como se destrói uma marca de sucesso. Por isso, amiguinhos, quando cito Mortal Kombat, o faço em tom jocoso. Por isso que aqui no blog o jogo aparece em listas de jogos ruins.

Não é sacanagem minha. A história fala por si.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

77 thoughts on “Mortal Kombat: A crônica de um fracasso

  1. eu sei usar o “pen drive” como um HD externo… usando o HD loader….. procura no google como instlar o HDLoader (acho que é o 8c o último) que tem um manual em português muito bom! =)

  2. Eu sempre gostei de Mortal Kombat, pelo jeito trash dele ser, mas parei de acompanhar no 4 (a série “principal”), porque joguei o Deadly Alliance e não gostei.

    A Dificuldade do MK 3 e Ultimate eram realmente ridículas, eu nunca conseguia ficar meia hora jogando sem ficar muito puto…

    Já o Shaolin Monks, que é um beat’em’up, eu acho mó jogão, apesar dos fatalities estarem lá só “for teh lulz” mesmo. Não há nada como personagens gritando mesmo depois de ter sua cabeça estourada =D

  3. comprei um hd externo usb e to rodando jogos direto dele no meu ps2 sera que tem comu pro os MK classicos no hd uma vez que so da suporte a gamas de ps2 os progamas que to usando o opem ps2 loader e usb advance esses jogos tem vesoes completas pra ps2?

  4. Vai bater p*** vendo a chunli mongolao.
    Todo guri que tinha seu video game ou ate mesmo ia em fliperama sabia os classicos de luta eram Street Fighter e Mortal Kombat e somente eles. Fatal Fury e Samurai Shodown eram peixe pequenos comparados a ele, nao fala o que tu nao sabe.
    Vai pesquiser o que Mortal Kombar deu de lucro, se duvidar foi maior que Street Fighter.

    Comentário do AvcF: nofa, tá nervosa, nêga? É cada louco que aparece aqui… Até tive que editar, algo que não gosto de fazer.

  5. Cara para de boiolice
    querer dirigir-se aos outros com palavras sensatas,corretas, quer dar uma de cavalheiro vai fazer isso com suas mulheres, fala o portugues que todos compreendem
    como eu compreendi que vc é um perfeito idiota
    alias, estou desrrespeitando os idiotas te colocando-o como um(palhaço), mortal kombat foi e é um dos melhores jogos de luta do mundo(pode ter tido uns momentos ruins, mas o mundo da voltas)ai vem você, que não teve melhor ideia para um blog, e resolveu rebaixar o mortal kombat só por que voc~e não gostou do jogo.
    Então faça um blog com os jogos que te fazem bem
    e deixa o que você não gostou de ladó,pois, existem muitos(varios) que adoram o jogo apesar de alguns erros.
    Então aqui vai minha critica pra você: Vê se arruma algo melhor pra fazer e para de ficar “brincando” de blog

  6. Acho q a rapaziada incomodada com a OPINIÃO de terceiros, ir ler outro blog e comentar em outro lugar.

    É impressionante como tem gente que se doi com a opinião dos outros…que coisa imbecil e insensata.

    Eu gosto muito de MK e não concordo 100% com a opinião do autor do texto mas nem por isso vou escrever um monte de barbaridade pro cara.

    Não gostou? Vai ler IGN, Gamespot ou outro site que tenha as opiniões que mais batem com vc.

    Cada uma…gente com ações insensatas falando de insensatez, é o sujo falando do mal lavado.

    Continue com o trabalho AvcF!!

  7. Kra não concordo com nada q vc dice.
    mk nunca foi tão inferior ao sf como vc falo, pra ser honesto sempre preferi o mk… Outra coisa q não concordo é dizer q o mk 3 foi pior q o mk2! Vc já jogo mk 2 do snes por acaso?
    a inteligencia artificial do mk 2 era muito chata eles defendiam todos o ataques diferente do mk3

  8. É triste ver que no Brasil ainda há gente que haja que o que acabou com a empresa de Mortal Kombat foram os últimos jogos, é realmente triste ver que tem gente que consegue escrever um texto tão grande sem ao menos te alguma passe, pois não consegue nem mesmo pesquisar para confirmar o que disse. Se não saberia que mesmo o Mortal Kombat II tento mais personagens ele foi um dos jogos mais desequilibrados que existiu e que foi a partir dele que a serie começou a ruir em parte devido a coisas com os movimentos de friendiships e a falta de uma jogabilidade mais matura, fazendo a serie quase morre, o grande diferencial da época é que as empresas eram pequenas, por isso mesmo com o fracasso elas insistiam em lançar seqüências, pois não tinham planos em longo prazo para as suas franquias, tento muitas fezes interesses apenas no dinheiro que lucrariam na hora com a franquia, sem se importa com a marca, a prova disso é o Mortal Kombat Advance que mesmo sendo um jogo horrível teu lucro para Midway, chegando ao ponto de a mesma admitir esse fato. Os responsáveis pelo jogo só conseguiram salva a franquia a partir do Mortal Kombat Deadly Alliance que apesar do que muitos ajam fez sucesso, pois mesmo pegando elementos de outros jogos os produtores tentaram dar a sua cara apresentando um jogo com uma jogabilidade mais matura, porém de fácil aprendizado e se voltando mais para historia do jogo, demonstrando um maior cuidado com a serie, porem devido aos tropeços da serie eles acabaram tento de sacrificar coisas como os personagens serem diferenciados mais pelas formas que usam suas técnicas e magias, aspecto que retornou no Vs DC e que os produtores parecem terem mais confiança de implementa agora no novo Mortal Kombat, e por falar nisso suas continuações (Deception, Armaggedon e Vs DC) também fizera sucesso chegando ao ponto te certos aspectos influenciarem series como Tekken. No entato, realmente existem certos modos poderia ser mais bem trabalhado como a homenagem a Mario Kart que há no Armaggedon. Agora o que acabou com a Midway não foi a serie Mortal Kombat e sim uma administração ruim que preferia investir em idéias ruins para jogos, muitas fezes forçando a equipe por trás do Mortal Kombat a trabalhar com prazos curtos devido ao fato de privilegiarem coisas estranhas e nem sempre tão bom como Necessary Force. Esse foi outro ponto que mudou a partir do momento que eles se tornaram estúdio da WB, pois ela parecer realmente confiar que esse será um grande jogo. Eu estou escrevendo isso não é para humilhar sua opinião tenho apenas o intuído de informar, pois a última fez que eu vir uma matéria sobre Mortal Kombat, foi no site do UolJogos eu fiquei pasmo com a falta de informação daqueles reportes.

  9. Pra mim isso é desabafo de coitado que nunca conseguiu vencer a máquina. Deve ter passado a infância jogando pokemon com o priminho criado com a vovó.
    Mortal Kombat arrecadou mais dinheiro no mundo do que todas as demais franquias de jogos de luta juntas.
    Se você não tem o dom pra arrebentar nos games, não destrua o trabalho dos outros, crie um blog prestativo e que ajude próximos. Não utilize-o para disseminar sua inveja e mostrar o seu fracasso para os demais….
    Sem mais…

  10. Adorei ler isso! To lendo porque estou jogando todos os meus jogos por ordem de lançamento, foi massa ter jogado o MKI e o MKII, mas agora no MK3 eu to endoidando de raiva, tive que parar de jogar no nível médio pra o very easy e mesmo assim é o velho “1 luta fácil e outra impossível”, a máquina dá combos impossíveis, to até pensando se sigo em frente com esse jogo ou se sigo pro próximo…

  11. e pode bater na boca cidadao, mk 2011 ta muito bom, e vc quebrou acara e nao fale mal do mortal ultimate pois era muito bom tbm, so vc q nao sabe jogar kkkkkkkkkkkk

  12. Comprei o novo mortal kombat 9 e nao tenho o que reclamar
    O jogo ficou estrondosamente bom, com graficos impressionantes, jogabilidade 10 e seu modo historia muito bom sem falar que até em portugues da para se ler as legendas e mesmo o jogo. Esse jogo apagou todos os contras quanto a mortal kombat , quero ver os criticos se nao irao tirar o chapeu agora e podem tdr certeza ele sera proibido em alguns paises pela violencia extrema e sangue absoluto !

  13. Meu leia só. Não há porque criticar. Mortal Kombat apesar de vários erros é o melhor jogo de luta de todos os tempos. Desde de o primeiro até agora. E vai continuar sendo tá ok. Então apague esse blog e não critique. Tá vendo fala o que quer, ouve o que não quer. Só uma coisa se você achar que sou um idiota, por gostar de mortal kombat, lembre-se que você é outro idiota por críticas, por que fala de um jogo que não gosta?

  14. Mortal Kombat 3 tem um jeito estranho de dificuldade eu tinha o jogo hoje ñ tenho mais nem o super nintendo.
    Levei um mês para aprender a jogar contra os cara da segunda luta porque a primeira é só aquecimento.
    Não gostei quando falou mal do Kabal é o personagem que mais sei jogar nenhum combo é impossível a máximo que eu fiz a máquina não faz com Kabal nem no very hard.
    combo de 9hits 63%(ou 62 ñ lembro) de dano.
    a máquina sacar todos movimentos ela sabe o segundo exato para da combos ela não te acerta no ar nem no chão.
    o único jeito é saber enganar a máquina ver os pontos vulnerável normalmente é quando eles pulam ou quando usam golpes longo como chute com X e soco Y dá para usar A e B para iniciar combos mas tem que ser muito preciso.
    Para mim o jogo não tem erros ele só é difícil mesmo.
    já no ps2 e ps3 o jogo ficou fácil,

  15. Aprende a jogar antes de criticar, mk3, mkt são os melhores jogos do mortal. Street fighter que é lentao, personagens desenhados não digitalizado, entre outras coisas que fazem ser muito abaixo do mk

  16. O cara acha q a opiniao dele é lei , e faz um blog como se achasse q todo mundo concorda com ele , eu acho MK deception legal e divertido ( embora um tanto mal feito) e aço Street fighter uma bosta , mas nem por isso crio um blog xingando ele

  17. É sofrível ler esse artigo, ver o cara tentando pagar de bomzão falando bosta até dos jogos antigos(mk2 é o auge? what?) e ainda falhando miseravelmente na predição dos novos, mk9 e mkx simplesmente trouxeram a era dos games de luta de volta a tona hsuahsuashuahsuahsuahsuahsuahsuahsuh

    1. O cara tem razão em cada palavra. E quanto a MK9: tenham em mente que isso foi escrito antes do jogo ser lançada (na verdade antes de ser produzido). Sinceramente, MK9 é o único que prestou; e olha que eu só sei jogar mortal kombat (tipo 3), e bem meia-boca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *