New Super Mario Bros.2 e 3D Land: a diferença entre o que a Nintendo e o público quer


Saudações aos leitores.

Resolvi inaugurar o ano de 2013 com uma discussão envolvendo dois games que embora sejam sobre o mesmo personagem e sejam do mesmo gênero, são muito diferentes: New Super Mario Bros.2 e Super Mario 3D Land, ambos lançados para Nintendo 3DS. Acompanhem.

Quem acompanha o blog deve se lembrar que há alguns meses eu escrevi um post comparando New Super Mario Bros.2, um game de 3DS, com Super Mario Land, lançado para Game Boy. Naquele texto eu usei os jogos para comparar a forma como a Nintendo tratou e trata os jogos 2D do Mario – e seu público por tabela. Lá eu também notei que como não havia ainda jogado NSMB 2, não poderia fazer uma análise do game, listando então os defeitos e problemas que eram visíveis mesmo sem jogar. Pois bem, agora que joguei e terminei tanto NSMB 2 quanto Super Mario 3D Land, poderei falar de ambos com propriedade.

De cara digo que NSMB 2 é muito melhor do que 3D Land, apesar da visível diferença de orçamento entre os títulos. Sobre NSMB 2, primeiramente dou minha mão à palmatória e digo que o jogo é melhor do que eu imaginava; tem sim seus momentos divertidos, além de bom desafio e variedade, como por exemplo as diversas saídas secretas e acessos alternativos presentes em várias fases do jogo, que além de darem um belo trabalho para ser encontradas e atrevessadas, criam tensão e novos momentos de gameplay. Ainda sim, reitero o que disse naquele post quanto a total preguiça e notável falta de capricho com que a Nintendo tratou desse jogo. Cacete, custava tanto por pelo menos UMA música nova? Fora que foi realmente duro ter que tolerar mais uma vez os mesmos mundos genéricos postos na mesma ordem dos NSMB anteriores (sim, nem isso tiveram a capacidade de mudar). Também foi de se lamentar a ausência de power ups novos, até porque a golden flower é mais uma gimmick do que uma novidade real. Enfim, NSMB 2 é o típico jogo que tem sua qualidade e é divertido, mas que deixa uma amarga sensação de que poderia ser muito melhor caso houvesse algum capricho e maior consideração por parte da Nintendo.

Super Mario 3D Land por sua vez é um caso bastante diferente. Tal qual pais de primeira viagem têm aquele carinho e cuidado especiais com o futuro bebê, a Nintendo fez um esforço enorme para que 3D Land fosse um grande game. A produção é caprichadíssima para um game portátil, com belos gráficos e efeitos, trilha sonora própria, animações suaves, tudo proporcionado pela mesma equipe responsável por Super Mario Galaxy. Percebe-se desde o início o cuidado em cada detalhe, e até mesmo o 3D estereoscópico foi o melhor que vi até agora no 3DS(inclusive há duas opções de 3D, algo que não vi em nenhum outro jogo do aparelho). Como se não bastasse todo esforço na produção jogo, a Nintendo ainda gastou milhões de dólares em uma massiva campanha de marketing, que incluiu eventos em Nova Iorque, comerciais de tv, bundles e etc. No desespero em atrair os jogadores que teimosamente ainda preferem o jeito clássico de se jogar Mario, a Nintendo incluiu a famosa Tanooki Suit de Super Mario Bros.3, também modificou o design baseado em procurar estrelas usado nos games 3D anterioes para uma abordagem mais próxima a dos games 2D. Enfim, a Nintendo moveu mundos e fundos para que 3D Land fosse tanto “o jogo” Mario como também o game que seria a cara do 3DS.

O problema é que não deu certo. Não que o jogo seja ruim (e não é mesmo), porém precisaria comer muuuuito feijão com arroz para chegar ao patamar de um grande game Mario. 3D Land tem um design de fases simplório, nível de dificuldade quase inexistente, é completamente linear e previsível, além de não haver nenhum momento de brilho durante a aventura. Uma coisa que me irritou durante o jogo foi o que parecia ser uma estranha obssessão da Nintendo pelo 3d estereoscópico, que chegou até a me atrapalhar em diversos momentos. Isso porque a ao invés de buscar o melhor ângulo para o jogador, a câmera em muitas oportunidades se posicionava apenas de modo a oferecer o melhor efeito 3D. Essa preferência causava confusão visual, pois dificultava a visualização de determinados pontos da fase, o que por sua vez me levou a executar pulos errados e perder vidas desnecessariamente. Outra evidência dessa obssessão eram inúteis telas de bonus que tinham um bobíssimo efeito de ilusão de ótica – que obviamente era melhor desvendado com o 3D estereoscópico ligado. E claro, fora muitas telas que tinham trilhas de moedas formando um “3D”, cujo único próposito era não ter propósito nenhum. Isso tudo evidencia que para os produtores de 3D Land era o design que tinha de se adaptar ao 3D, e não o oposto. Ou seja, todo o projeto de um jogo tinha que se adaptar a um efeito, quando normalmente um bom design faria o contrário.

Para fechar essa questão, exibo abaixo dois videos que resumem a diferença entre os designs de NSMB 2 e 3D Land. Vejam:

Os videos retratam o último castelo do Bowser de cada jogo, ou seja, o clímax que entecede a batalha final. Notem que em NSMB 2 a fase é puro gameplay, com vários obstáculos que demandam bastante habilidade do já experiente jogador (afinal, você tem que passar por todos os estágios anteriores para chegar até ali), com trechos de exigência variada, pois há momentos para saltos precisos e há momentos cujo reflexo rápido pode salvar uma vida. No meio disso tudo há ainda espaço para exploração, com vidas secretas, seções escondidas recheadas de moedas e uma trecho final onde os Koopalings exigirão timing e velocidade do jogador. Da primeira tela até a entresala onde Bowser se encontra, o jogador passará por um sucessiva e intensa sequência de testes. Ah sim, e pegar as três moedas especiais não será tarefa das mais fáceis.

3D Land por sua vez é o extremo oposto. A Nintendo transformou a fase em uma espécie de carrinho de parque de diversões, e aquela que deveria ser o ápice do desafio, foi transformada em uma fase completamente linear e boba. Seguramente esse foi o castelo do Bowser mais fácil e sem graça que já joguei em um game Mario. Não há qualquer desafio além de algum timing requerido para capturar as moedas especiais, o jogador sequer precisa se movimentar, pois tirando uma curtíssima seção de plataformas, a própria fase te leva até o destino final. Uma grande moleza e uma grande decepção.

O que a Nintendo e o público quer

Procurei evidenciar as diferenças entre NSMB 2 e 3D Land para mostrar que em se tratando dos games Mario, aparentemente há uma grande diferença entre o que a Nintendo e o público quer. Todavia a questão a ser feita é por qual motivo há tal diferença de tratamento? Se alguém dizer “são as vendas!”, então esse alguém poderia me responder porquê o jogo que foi tratado como um produto menor e de segunda classe vendeu mais no Japão e ainda permancece nas listas de mais vendidos na América do Norte enquanto aquele devia ser o flagship do 3DS desapareceu? Por quê enquanto um teve a equipe de Super Mario Galaxy o outro foi em parte desenhado por estagiários? Fico com a impressão de que a Nintendo não quer mais fazer Super Mario Bros. à moda clássica, e então fica lutando contra o mercado, tal qual um músico que toca apenas o que quer e ignora os pedidos do público para tocar suas canções clássicas. Sério, qual o sentido disso? Me pergunto se o pessoal da Nintendo realmente imaginou que de uma hora para outra todo mundo largaria os Marios bidimensionais e abraçaria 3D Land como se esse jogo significasse uma nova era dos games do bigodudo. Nesse sentido, também me pergunto qual será a reação desse mesmo pessoal ao ver que New Super Mario Bros.U vende mais do que Nintendo Land, sendo que ainda por cima hoje NSMB U é o jogo com o maior attach rate do Wii U.

Realmente é difícil apontar alguma razão que não seja ideológica para justificar que os jogos com pior tratamento por parte da Nintendo sejam os mais populares e queridos pelo público. Agora tentem imaginar o cenário oposto ao da realidade atual: imaginem que 3D Land fosse um fenômeno de vendas e fosse responsável por alavancar o 3DS a um nível semelhante ao atingido pelo DS. Vocês realmente acham que a Nintendo voltaria a produzir games Mario em 2D, ou mesmo que NSMB 2 fosse lançado? O bizarro disso tudo não são nem as perguntas feitas aqui, e sim tal situação continuar, simplesmente porque não faz sentido uma empresa querer brigar com aqueles que a sustenta. Afinal, é muito mais simples fazer logo a vontade do público e ganhar uma bela grana com isso, tal qual ocorreu com NSMB e NSMB Wii, games que inclusive ajudaram a vender milhões de consoles a mais para a Nintendo (coisa que Galaxy, Galaxy 2 e 3D Land não fizeram). Tratar esse público com respeito também ajudaria bastante, pois se um jogo como NSMB 2 já tem um excelente retorno na forma atual, imaginem como seria caso tivesse conteúdo original (como novos mundos e power ups, por exemplo), trilha sonora de qualidade, criatividade e esforço? O resultado óbvio é que todo mundo ficaria feliz.

Por fim

Não sei se o 3DS ainda receberá um game de ação e plataforma com Mario, mas querem apostar que caso seja lançado será mais um game 3D, e que será ainda mais bonito e caprichado que 3D Land? Da mesma forma que após a correria que foi lançar NSMB U, o próximo Mario para o Wii U será um belíssimo Mario 3D com orçamento astrônomico, os melhores assets possíveis e todo tempo de produção que precisar? E até aposto dinheiro como mesmo impulsionado por uma enorme campanha de marketing é capaz de vender menos e ser menos popular que NSMB U. O que o pessoal da Nintendo (Miyamoto incluso) parece se recusar a perceber, é que o grande público continua e continuará amando aquele que não somente é o símbolo da própria Nintendo, mas do que é ser um video game: correr e pular plataformas em um plano bidimensional. Não importa quantos milhões em campanhas publicitárias e ações de marketing sejam gastas, ou quantas referências clássicas sejam inseridas ou mesmo o quanto o gameplay seja adaptado e simplificado: jogar Mario em 3D sempre será uma experiência distinta e que nem todo mundo gosta e se diverte quanto era em 2D.

Será muito mais construtivo quando a Nintendo passar a trabalhar Mario 2D e 3D como séries distintas e dar tratamento semelhante as duas, ao invés de continuar teimando em achar que os games 3D são os principais e que os 2D são spin offs apreciados por idiotas que não entendem a beleza e a sofisticiação de um mundo tridimensional. Não se tem um futuro brilhante renegando o passado e isso vale para qualquer área do entretenimento.

E por hoje é só pessoal. Até o próximo post.

AvcF – Loading Time.

8 thoughts on “New Super Mario Bros.2 e 3D Land: a diferença entre o que a Nintendo e o público quer

  1. vi os videos e não entendi… o final de Mario Land me pareceu o melhor entre os dois, com mais cara de final, enquanto o outro parece só mais um castelo normal. talvez jogando a experiencia seja diferente de ver o video, mas…

  2. Discordo, o Mario Land é melhor que o New2. Tanto de gráfico, qto de desafio. O new é legal, mas é pra nostálgicos mesmo. O Land consertou o que sempre detestei nos 3d que era esse negócio de ficar colhendo estrelas. O divertido é passar as fases, não colher estrelas, agora que a nintendo se tocou disso, os 3D serão melhores que os 2D, isto é fato…

  3. Não concordo que o new mario 2 seja para nostálgicos.
    Eu sou um nostálgico, mas a falta de capricho, o conteúdo reciclado e esse foco doentio na coleta de moedas me fez jogar apenas 3 mundos e desistir do jogo, extremamente decepcionado. O jogo é ruim como um jogo mario, e ponto! Não tem nada no jogo que o salve!

    Já 3D land tem tudo o que um jogo de plataforma em 3D precisa para ser excelente, gráficos bonitos que envelhecerão bem, música bem produzida e bem executada, fases divertidas (apesar de fáceis) e um desafio um pouco mais puxado nas fases “secretas”, abertas depois de se terminar o jogo da primeira vez. Eu, que nunca fui fã de mario 3D, gostei muito mais de 3D land, de um modo geral, apesar das tais fases bônus sem objetivo algum além de fazer “showcase” do 3D estereoscópico.
    Acredito, na verdade, que o foco excessivo no 3D foi a única grande falha do jogo.

    Mas isso não muda o fato de que, o que nós queremos é um grande jogo mario em 2D, digno de mario 3 e mario world.
    É indiscutível que, se new mario bros 2 tivesse recebido o mesmo nível de esmero que mario 3D land, e com conteúdo próprio, e não requentado de outros 2 jogos, teríamos o melhor jogo mario da década!
    Quero mesmo é mario 2D com a mesma qualidade de 3D land e galaxy, e acho que é mais ou menos isso que boa parte do público quer também, mas a nintendo não vai nos dar isso nunca, pois mataria os marios 3D.

  4. Concordo com seu post. O tratamento diferenciado entre Mario 2D e 3D é particularmente proposto por Miyamoto. E o mesmo pode ser dito por Zelda e Metroid.

  5. Também não gostei nada dese 3D Land (joguei na FNAC; não tolerei nem 2 minutos…). A Nintendo não tinha mais por onde errar. Mesmo. Baita experiência vazia de jogabilidade.

  6. Ahhh Não sei mesmo se o que vocês falam e serio,pois para mim 3d land e um jogo melhor e mais ORIGINAL que NSMB 2, (os gamers americanos falam super bem do 3d land), e mais eu acho hipocrisia fala mau de um jogo sem ter jogado, pois no ultimo post o 3D land era um lixo uma porcaria,hoje ele e bom demais , mas não importa o que falem eu ainda acho NSMB 2 um LIXO uma copia de NSMB e NSMB WII

  7. estaremos no aguardo de um mario 2d a nível de mario bros 3 ou mario world… acredito que o próximo mario 2d será inevitavelmente neste nível…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *