O desastre do Wii U era óbvio, mas ainda tem gente que não entendeu

Saudações aos leitores.

Vocês já devem ter lido sobre o desastroso anúncio da revisão de projeções da Nintendo. À parte de qualquer bobagem escrita por analistas de fórum e assessores de imprensa, entender o fracasso do Wii U é simples e digo aqui porquê. Como já havia mencionado aqui em fevereiro do ano passado e reforçado em outubro, o Wii U é pura e simplesmente um GameCube HD com a conexão GC/GBA como controle padrão. Portanto, nada mais lógico entender que o desempenho do Wii U será similar à do GameCube, ou seja: passará boa parte de cada ano “morto”, sendo reanimado a cada vez que um jogo de primeira linha da Nintendo for lançado. Um exemplo eloquente dessa repetição da história ocorre com as cadeias varejistas diminuindo o espaço devido a baixas vendas dos jogos terceirizados do Wii U:

Há uma semana, eu dei uma olhada neste post de John Harker, que é alguém bem respeitado pela comunidade NeoGaf por providenciar informação confiável sobre a indústria dos jogos e a situação do Wii U. Ele declarou “a Target nem sequer compra novas unidades de estoque de jogos para Wii U de algumas produtoras terceirizadas nessa temporada.”

As plataformas da próxima geração estão atualmente competindo por espaço em prateleira com as plataformas da geração atual. As redes varejistas têm espaço limitado entre Xbox 360, Xbox One, PlayStation 3, PlayStation 4, PlayStation Vita, Nintendo 3DS, Nintendo DS, Nintendo Wii, e Nintendo Wii U. Quando espaço em prateleira é dividido entre nove plataformas diferentes, os lojistas são menos propensos para comprar unidades de estoque de jogos para Wii U de terceirizadas porque elas não geram qualquer dinheiro para a loja.

Agora vamos viajar no tempo, voltando para o ano de 2003. Em um vasto e completo artigo sobre a história do GameCube, Emiliy Rogers mostra como as terceirizadas encaravam o GameCube da mesma forma como elas encaram o Wii U agora:

Nós estamos recebendo negatividade crescente no varejo apenas por promover produtos GameCube. As notícias que recemos dos varejistas são que o console não está vendendo, eles não vão estocá-lo, e eles vão estocar os melhores três a cinco jogos, eles serão todos licenciados ou first party. Isso torna a viabilidade crescentemente difícil para nós fazermos quaisquer jogos de GameCube.

(…)

As produtoras terceirizadas entenderam o recado. Uma por uma começou a retirar seus suportes para o GameCube. Em um evento alemão no mesmo ano(2003), Atari anunciou que  Driver 3, Mission Impossible: Operation Surma, e Terminator 3: Rise of the Machines foram todos cancelados para o GameCube, e planejavam cortar outros títulos também.

A THQ seguiu a Atari ao cancelar a versão GameCube de “The Suffering” e contou à imprensa que o jogo ainda sairia para Playstation 2 e Xbox. A THQ explicou à IGN: “nós queremos nos concentrar nas principais plataformas no mercado quando se trata de lançar um produto original. Nós ainda publicaremos títulos como Blitz e Hitz para o Nintendo GameCube, mas sobre The Suffering, nós estamos concentrando no Sony PlayStation 2 e Microsoft Xbox.”

Portanto, meus caros, se querem saber como será o desempenho do Wii U, basta pesquisar a trajetória do GameCube, simples assim. O resto se resume a “asnálises” e textos “nintendo is doomed” e “going third party“da vida, alguns com uma mal disfarçada torcida pela derrocada nintendista. Outro quesito absolutamente básico que ninguém lembra é aquilo que faz qualquer console vender muito mais do que qualquer outra coisa: os jogos. Com um ano de existência, o Wii U tem uma biblioteca fraquíssima, que vai de bobagens como Nintendo Land e W101, passando por um superestimado Mario 3D Land, que é uma versão HD bombada de um jogo originalmente desenvolvido para 3DS (antes que perguntem, eu tenho o jogo), e terminando em re-edições e sequências de jogos de GameCube, como Pikmin 3 e Wind Waker HD.

GameCube e Wii U são dois lados da mesma moeda, um é outro e outro é um. Nenhuma explicação mirabolante é necessária quando se entende isso. Bizarro mesmo foi a Nintendo ter achado que lançar duas vezes o mesmo console daria um resultado diferente. A fase bizarra continua.

AvcF – Loading Time.

 

 

 

26 thoughts on “O desastre do Wii U era óbvio, mas ainda tem gente que não entendeu

  1. É por isso que não dá pra levar tão a série suas opiniões… reclama das torcidas e opiniões disfarçadas de verdade absoluta de outros analistas e faz a mesmíssima coisa.

  2. Concordo com vc e acho q a sua opinião se sustenta nos argumentos apresentados e no que tem acontecido no mercado até o momento. O que me espanta é a capacidade da nintendo, enquanto empresa experiente no setor, em continuar cometendo os mesmos erros….

  3. Concordo muito com o que vc disse. Quando me falam sobre o Wii U sempre repito exatamente a mesma coisa. Quando o comparam com o Dreamcast, acabo dizendo e constatando que ele esta mais para Gamecube mesmo. Mas só me irrito quando as pessoas tendem a colocar a culpa das vendas fracas na qualidade e hardware do aparelho. Quem faz isso nunca chegou perto do console. Não sei se vc já esta com o seu, parece que sim pois disse que tem Super Mario 3D World (que ainda não peguei pq quero completar Mario Galaxy 2, que ainda não joguei, antes) se esta, não sei também se concorda que o aparelho0 em sí é muito bom. O Miiverse é um espetáculo a parte, achei muito divertido e útil para conhecer mais sobre os jogos. O Gamepad bem utilizado como em Rayman Legends e Zombi U mostram o potencial da plataforma. Existem inúmeros problemas que levaram as baixas vendas do console, mas acho que poucas se devem ao hardware, que é bem competente, tanto quanto seu irmão menor, o 3DS. Quanto a bons jogos, acho que todas as plataformas dessa “nova geração” estão sofrendo com isso, pois PS4 e XBO só tem jogos que já existem nas plataformas atuais com gráficos levemente melhorados, ou exclusivos fraquíssimos como Killzone, Ryse, Dead Rising e o tenebroso Knack. E fazendo uma breve análise do que já foi mostrado e anunciado, isso não vai mudar em 2014, pois grandes títulos como God of War e Uncharted só devem sair no fim de 2014 ou princípio de 2015, se saírem. A situação do XBO é ainda pior, pois já disseram que Gears of War não terá uma sequencia nova nem tão cedo, e seus exclusivos não convencem ninguém. Ela se segura em Halo, que mesmo sendo muito fraco, vende bastante.

    1. Concordo 100% contigo, não há absolutamente NADA que justifique a compra de um X1 ou PS4. Os medalhões adivinha o que são? FPS, mais uma vez.
      Está na hora de mudar, tirar esse foco no FPS. Algo precisa acontecer para mudar isso, e é isso que me atrai na Nintendo. Ela tenta, mas o consumidor não quer.

      1. Exatamente, mais e mais FPS genéricos saindo o tempo todo. Quando o jogo não é shooter, e shooter disfarçado. inFamous o cara não usa arma pra atirar, mas usa projéteis contra inimigos e tem sistema de cobertura. Isso me cansou, por isso sempre irei buscar a Nintendo

  4. Eu não sou analista para saber se a Nintendo vai ou não falir. Simplesmente torço de coração para que ela encontre uma forma de recuperar seu status perante seus consumidores e, principalmente, atrair esse bando de moleque rebelde sedentos por FPS´s. O pior de tudo é que ao meu olhar leigo, ela tem TUDO nas mãos. É proprietária de diversas franquias fortíssimas que simplesmente não entendo por que ela ainda insiste em manter no limbo e tem um console com um hardware excelente para os padrões de jogos dela. Talvez seja aí o problema.
    Já o argumento de que o Wii U é o gamecube com conexão para GBA é uma meia verdade, pois no GC era apenas algo a mais e não como padrão.
    O que vejo como frustrante nisso, é que mesmo depois de mais de uma década, a Nintendo relança esse conceito ainda sem saber usá-lo. Deveria haver, ao menos, alguns ótimos títulos já no lançamento que justificassem o uso do seu próprio controle, instigando a imaginação e a vontade em produzir das thirds.
    Hoje, o Wii U é um console com um ótimo controle que realmente poderia proporcionar coisas que os outros não podem, mas é um console abandonado em massa pelas desenvolvedoras.
    Entrar no Eshop e não ter opções de compra, é triste. Ver como destaque o lançamento de Castlevania 2 de NES é mais triste ainda.
    Veremos o que o futuro reserva para esse console, eu que já possuo só posso torcer para que seja algo positivo.

    1. Realmente é o que vc falou, ela tem tudo nas mão pra detonar, mas sempre acha um jeito de não fazer isso. Uma E3 dos anos passados onde Sony e MS decepcionaram muito, todos contavam com a melhor E3 da Nintendo, e ela Nintendou mostrando Nintendo Land como atração principal kkkkkkk

  5. Você vê que o console está condenado quando tem gente que fica hypando bobagens como o Miiverse.

    O Wii U desde o início já dava indícios de que seria um fracasso. A Nintendo quis sair da filosofia do Wii. E agora colhe, merecidamente, os resultados.

    Merecido esse tombo. E tomara que puxe todas as outras empresas consigo.

    1. Não é hype no miiverse, eu disse que acho a rede social muito útil. Quando quero conhecer mais sobre algum game que pretendo comprar e estou em dúvidas, é o lugar perfeito. E é divertido comentar sobre os jogos, conhecer pessoas com gostos iguais, brincar de desenhar. É um atrativo interessante e forte também. Após várias “curtidas” em um post no miiverse pedindo localização português do game UnEpic, o produtor pediu desculpas e prometeu lançar um patch adicionando o idioma ao jogo

      1. Não me referia ao seu comentário.
        É que se olhar nos fóruns (pior lugar para achar uma opinião relevante) muita gente fica falando desse Miiverse, que é algo completamente inútil pra maioria das pessoas.

        O Miiverse não agrega valor ao jogador médio, que é o jogador que a NIntendo deveria ter buscado. Ok, faz o trem lá e deixa a minoria achando que é mil maravilhas. O Miiverse jamais deveria ser um ponto usado para vender o console. Raios, o Iwata já usou isso, os mongós no NeoGaf usam isso.

        O que tem que falar pelo Wii U são os jogos, não essas perfumarias que não significam algo.

  6. Eu achei que pelo menos a crítica a respeito de falta de jogos iria se salvar neste monte de bobagens que você escreveu, mas aê você caga tudo falando mal de T101 e 3D World da forma que fez. Sério cara, espero que ao menos você tenha um Wii U com estes jogos para falar mal com tanta propriedade.

    Na minha opnião, problema do Wii U é ritimo de grandes lançamentos e falta de marketing. Fora isso não tenho do que reclamar, acho o conceito do console como um todo excelente, estou me divertindo muito com o meu.

    1. Er…eu tenho Wii U e os jogos citados (aproveitando para responder ao Flávio), quanto ao W101, perdi 30 minutos com o demo e sinceramente não entendi o que diabos acontecia ali. O jogo era uma ação confusa e uma poluição visual e sonora que só. Não é à toa que naufragou nas vendas. Sobre 3D World, uma série de elementos presentes no jogo dão claros indícios de que foram pensados originalmente com o 3DS em mente, como por exemplos os chatíssimos desafios do Captain Toad, cuja câmera foi ajustada levando o 3d esteroscópico em consideração. Além disso há ainda os inúmeros desafios e situações de fase iguais.Até as caixas que transferem o jogador de um ponto a outro estão lá intactas. De novo só mesmo o multiplayer e a roupa de gato.

      1. Vejo muitos elogios a W101, morro de curiosidade de jogar, mas a demo me afastou um pouco. Caramba, que tumulto, fiquei perdido também. Sei que o jogo deve ser diferente, tem atrativos, pois foi bem avaliado, e vendo alguns videos pela internet, parece ser bem interessante mesmo. Mas darei prioridade a outros títulos antes, como Pikmin 3 que esta na fila dos jogos a jogar esse ano hehe!!! Acredito que isso deve ter acontecido com mais pessoas também, que estavam dispostos a dar uma chance ao game, mas depois da demo preferiram apostar em outras coisas antes

      2. Bom ter esclarecido, até hoje é uma dúvida que eu tinha… mas porque você não dá as explicações da forma que você fez no comentário, com justificativas válidas (ainda que eu discorde), do que da forma “babaca” (desculpe a falta de expressão mais adeqüada)?

        Também joguei a demo de 101 e achei ótima, rapidamente eu peguei o jeito e entendi perfeitamente o que acontecia na tela. Pode não ser o “jogo da minha vida”, mas uma coisa que eu não diria sobre ele é ser “bobo”.

        E seu argumento sobre 101 contradiz a sua opinião sobre 3D World, que aliás, te darei um ponto por realmente não ter jogado ele ainda, apesar de duvidar que não irei gostar dele pelo que vi até agora.

        Enfim, respeito os seus gostos pessoais, só fique atento a como escreve suas críticas, você está passando uma impressão muito errada ultimamente.

        1. Como game designer, eu entendo que um bom design ainda é aquele que é “easy to learn, hard to master”. W101 com seus mil passos para executar ações que deveriam ser simples e querer que mil coisas aconteçam simultaneamente, é quase um “hard to learn, way impossible to master”. Sobre o 3D World, eu falarei melhor dele quando escrever o artigo próprio pra isso.

          Quanto a minhas críticas, desde os primórdios do blog que sou ácido mesmo. As vezes tenho a impressão de que o pessoal da internet é muito sensível 😆

          1. Eu compreendo, mas sei como é péssimo jogar algo o tempo todo com olhar crítico, você deixa de ser um jogador pra ser um avaliador, e com isso se diverte muito pouco, o que é a essência de se “jogar vídeogame”. Como eu disse, pode não ser o melhor jogo do mundo, mas está longe de ser ruim.

            Aguardo o texto sobre 3D World.

            Acompanho aqui desde 2007 (acho que é isso) e gosto do blog, por isso mesmo falo que tá rolando um certo exagero da sua parte, principalmente depois que você formou. É o que eu acho.

          2. Super Mario 3D World é um primor de jogo, sua qualidade é inegável, além de ser “easy to learn, hard to master”. Somente quem foi até o final do game sabe o que quero dizer. Foi nesse jogo que encontrei a fase mais difícil de todos os marios que joguei até hoje.
            Eu torci o nariz no anúncio do game, pensei da mesma forma, “ah jogo reciclado do 3ds” mas… e daí? Aliás, as caixas transportadoras citadas são, de certa forma, recicladas do galaxy, referente aquelas estrelas que jogavam o mario de um planeta para outro. O mastro no final da fase também está lá.. há anos!
            Quanto ao W101, juro que tentei compreender o game, mas não consegui. uma bagunça generalizada na tela, foi mais frustrante do que prazeroso. Quem sabe jogando desde o princípio, seja melhor.

  7. No artigo do Emily Rogers, ele pede no fim pra quem quiser os jogos da Ubisoft no Wii U, pra comprar Rayman Legends, Assassin´s Creed 4 e Splinter Cell Blacklist. Só não peguei o Blacklist pq não sou muito fã da série. Então fiz minha parte kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      1. Meu Assassins passeia de plataformas, sempre pego o que está mais barato ou tem mais extras. Tenho um de Xbox, os outros no Ps3 e o 4 no Wii U hehe!!!

  8. Esse Rafa Tchulanguero Punk quer vencer a discussão no grito, contra fatos não argumentos, olhe para as vendas e a recepção que o Wii U possui e me diga o que é para você um atestado de fracasso.

    Não posso dizer se o Wii U será mesmo um novo GameCube, mas se a Nintendo não fizer o mais rápido possível um tratamento de choque (a primeira coisa a se fazer é tirar Iwata da presidência), é para um fracasso igual ou maior ao GameCube que a tragetória do console atual se encaminha.

    1. “Iwata: Se ficarmos parados, iremos nos tornar obsoletos”

      Em uma conferência para a imprensa, Satoru Iwata falou sobre as notícias das reduções da previsão para o ano fiscal e sobre o que a companhia fará sobre isso.

      “Estamos pensando sobre uma nova estrutura de negócios…”, disse o executivo. “Considerando a expansão dos smart devices, naturalmente estamos estudando como eles podem ser usados para aumentar o negócio. Não é tão simples quanto colocar Mario em um smartphone”.

      “Não podemos continuar um negócio sem vencer,” também afirmou. “Devemos adotar uma postura cética quando se trata de simplesmente fazer consoles, oferecê-los, como no passado, por 20 ou 30 mil ienes, e vender títulos por alguns milhares de ienes cada.”

      O The Wall Street Journal informa que Iwata admitiu ter “lido o mercado de forma errada” e ter falhado em guiar a Nintendo na direção da mudança que surpreenderia e faria os seus consumidores satisfeitos.

      “O modo como as pessoas usam o seu tempo, os seus estilos de vida, quem eles são, mudou,”, disse Iwata. “Se ficarmos parados, iremos nos tornar obsoletos”.

      Fonte: GamaSutra

      Fonte da versão em português: http://www.wii-brasil.com/noticia.php?id=43823

    2. O que eu acho mais engraçado, e que quando o AVCF malhava os consoles da Sega você não via essa choradeira por parte da Nintendaiada “não ista” aqui do blog.
      Ultimamente a Nintendo só tá dando bola fora mais ainda sim parece que critica-la chega ser uma blasfemia……..não é não Rafa ???? Agora por que você tem um WiiU , o cara não pode criticar ????
      Mesmo com tantos fatos concretos embasando a opinião do cara, a acidez é a mesma de sempre …… Sera que se fosse o PS3, ou Xone, o senhor se “doeria” tanto assim ????
      Gostaria de saber o que é que o povo anda cheirando, pra achar que esse console tem alguma chance de sucesso, mesmo com tantos fatos sendo mostrados dia após dia.
      O WiiU não consegue se sobressair nem contra os consoles da “geração passada PS360” imaginem em relação aos novos. Com mais de um ano de mercado, o WIIU contabiliza pouco mais de 5 milhões de unidades vendidas. O PS4, que não tem nem 4 meses de vida, aliás não tem nem jogo diga-se de passagem, tirando Killzone Shadowfall, já vendeu mais de 4 milhões, e ai ???? Gostaria que os defensores desse elefante branco justificassem essa situação.

      1. Fala sério, vocês me amam tão cegamente que nem conseguem ler direito o que eu escrevo, hwa hwa hwa. Mas ok, internet está aqui para isso mesmo.

        Eu sou uma pessoa que sempre achei babaquice qualquer “ataque desmedido” a qualquer plataforma. Na época que todo mundo falava da falência da Sony, adivinha quem, mesmo sem ter um único console da empresa, estava lá falando “vocês estão malucos?”? Pois é… acontece que a modinha de falar merda se voltou para a Nintendo no momento, que por acaso é a empresa que fabrica alguns consoles que eu possuo (entre outros de outras marcas).

        Notem que eu critiquei o texto e não a situação, que foi algo para o André e espero que ele tenha recebido como um feedback, e não reclamação aleatória. Sim, eu tenho um Wii U, então eu sei exatamente os seus méritos e defeitos (que aliás, eu reclamo pra kct), diferente de quem fica com a bunda sentada na frente da cadeira com a “boca debaixo de uma bunda virtual que caga merda” e repete tudo mais que papagaio de pirata.

        No mais, se quiserem discutir algum assunto comigo é só me procurar, digite “Tchulanguero” no Google e sejam felizes… ou não ^^

  9. Como um nintendista, eu simplesmente sinto meio disapontado com a Nintendo. Parece que não está mais conseguindo ter o sucesso que tinha nos anos 90(Eu não estou sendo um daqueles bobos que só falam que nintendo é ruim nos tempos modernos). Porém, eu tbm tenho que concordar que esse tempo também tem jogos boms(Super Mario Galaxy, SSBB).

    Espero que eles consigam chegar em primeiro lugar agora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *